sbenevenuto

Sérgio Benevenuto, Masculino, Brasil
www.sergiobenevenuto.comÚltima visita: dezembro 2013

621 execuções desde 20 Mai 2011

2 Faixas preferidas | 0 Posts | 5 Listas | 1 mensagem

  • Adicionar
  • Enviar mensagem
  • Deixar recado

Seu grau de compatibilidade musical com sbenevenuto é Desconhecido

Crie seu próprio perfil musical

Últimas faixas

Caixa de mensagens

Deixe um comentário. Faça login na Last.fm ou registre-se.

Sobre mim

A singularidade da trajetória musical de Sérgio Benevenuto pode ser entendida pelo fato de seu nome ter constado como verbete na enciclopédia de música Cravo Albin antes mesmo de ter qualquer gravação disponibilizada ao público. É que sua história aconteceu nos bastidores desde que graduou-se “Magna Cum Laude” na Berklee College of Music (Boston/USA ) nos anos 80. De volta ao Brasil (RJ) elaborou uma metodologia inédita de ensino que formou uma legião de instrumentistas de grande representatividade como Heitor Pereira, antes conhecido como Heitor TP (ex-Simply Red, atualmente trabalhando em trilhas para a Dreamworks), Fernando Caneca (Marisa Monte, Maria Gadú), Ezio Filho (baixista e diretor musical de Zélia Duncan), Sérgio Chiavazzoli (Gilberto Gil), Marcos Nimrichter, Arthur Maia, entre muitos outros. Também prestou serviços para artistas como Baby do Brasil, Raphael Rabelo, Marcelo Bonfá, Daúde, Lucas Santana e gravadoras como a Polygram (hoje Universal) e EMI (onde participou da criação de um conceito, até então inédito no Brasil, ao cifrar e colocar no encarte as músicas do CD “Verde, Anil, Amarelo, Cor de Rosa e Carvão” de Marisa Monte). No Rio de Janeiro, constituiu ao lado de parceiros como Mayrton Bahia, Fábio Fonseca, Carlos Pedruzzi e Fábio Henriques a Rio Música, primeira escola a oferecer também um curso completo de Produção Fonográfica no Brasil.

Com essa extensa experiência, começou a fazer no final dos anos 90 o circuito RJ/ES atuando também fortemente como produtor musical. Neste período produziu mais de 10 discos, alguns com destaque nacional como o primeiro da banda Solana (que colheu elogios entusiasmados do vocalista Bono Vox do U2 e de Fernanda Abreu, que foi ao ES para conhecer a banda), o da banda Rajar (que emplacou com o CD uma música no seriado Malhação, da Rede Globo) e o do grupo Saia no Samba (lançado em 2010 e indicado ao prêmio de Melhor Grupo de Samba no 22°Prêmio da Música Brasileira 2011). Ainda fazem parte deste pacote produtos diferenciados como o CD “Ao Vivo em Vitória”, que marcou o encontro histórico de 4 grandes nomes da música instrumental (Carlos Malta, Marcos Suzano, Victor Biglione e Arthur Maia) durante o show homônimo que aconteceu no Teatro Carlos Gomes, em Vitória/ES.

A partir de 2007 começou a produzir suas próprias composições ao lançar o CD “Onde Andará Ruff Cutz?” e agora em 2012 apresenta o álbum “Io”. Contando com uma constelação invejável de renomados instrumentistas (ficha técnica em anexo), os discos mergulham em temas quase cinematográficos, mesclando elementos da música brasileira, jazz e rock de forma orgânica, explorando arranjos ousados e arrojados numa linguagem quase pop. “Onde Andará Ruff Cutz?”, tem como ponto de partida um banco de loops de bateria chamado Ruff Cutz, uma paródia a “rough cuts” (“takes toscos” ou “cortes toscos”), vendido como banco de samples por um músico holandês na Internet. O CD teve um reconhecimento instantâneo ao ser pré-selecionado no Prêmio da Música Brasileira em 2008. Em 2010 finaliza "Io”, conceitualmente ancorado nos vários significados do nome do CD (o "eu" no italiano; a belíssima e intrigante Lua de Jupiter; a ninfa que encantou Zeus e foi transformada em novilha pela enfurecida Hera; a bela espécie de borboleta que nasceu das lágrimas da Io; o In/Out da linguagem do Áudio).

Entre os projetos atuais estão o lançamento dos três livros básicos que fizeram o programa da Rio Música (com que formou mais de 2000 alunos), o lançamento do grupo virtual (“cartoon band”) Bardot Mobile, a reativação do selo e editora Brazilian Music Factory (BM Factory) e o pocket show Distorted Covers. Para esta apresentação só com voz e violão foram selecionadas por Benevenuto mais de 150 músicas que em sua releitura poderá “distorcê-las” à vontade. O repertório vai de Samba e Bossa até o Instrumental mais inusitado, dos Gigantes do Rock até a MPB Tropicalista, do cult ao popular. Também exerce a função de diretor da Escola de Áudio e Música Popular (AMP), sediada em Vitória/ES.


Fichas técnicas dos CDs:

•“Io” (2011/2012)
Produzido e Arranjado por Sérgio Benevenuto
Coproduzido por Ezio Filho
Músicos convidados: Marcelo Martins, Jessé Sadoc, Roger Bezerra, Ezio Filho, Edu Szajnbrum, Carlos Bernardo, Juninho Curcio, Alza Alves, Victor Biglione, Carlos Malta, André Carneiro, Marcos Nimrichter, Paulo Sérgio Santos, Fábio Calazans, Paulo Faria, Sérgio Chiavazzoli, Marcos Suzano, Ney Conceição, Márcio Bahia, Roberto Marques, Andrea Ernest Dias e Tomás Improta.
Gravado entre maio e outubro de 2010 nos estúdios EG e AUDIOLUME – RIO DE JANEIRO/RJ.

•“Onde Andará Ruff Cutz?” (2007)
Produzido e Arranjado por Sérgio Benevenuto
Coproduzido por Ezio Filho
Músicos convidados: Marcelo Martins, Jessé Sadoc, Roger Bezerra, Ezio Filho, Edu Szajnbrum, Arthur Maia, Heitor Pereira (TP), Alza Alves, Rodrigo Lessa, Fernando Caneca, José Canuto, Alexandre Lima, Otávio Ribeiro, Marcelo Menezes, Cesinha, Fernando Nunes, Paulo Faria, Fabiano Araújo, Cláudio Infante e Beth Bruno.
Gravado entre 2006 e 2007 no estúdio EG – RIO DE JANEIRO/RJ.

Atividade recente

Grupos (2)