Da série: Coisas que ouço bastante - #1 DAFT PUNK

RSS
Recomendar

Jan 31 2008, 15h13




OK, Muita gente fica até estranhando e acha graça quando me vê ouvindo Daft Punk, e quando uma música deles aparece na minha playlist parece um estranho perdido no ninho... mas enfim, Daft Punk é uma das bandas que eu mais gosto (sim, eu considero banda, mesmo que seja música eletrônica). Desde a primeira vez que eu vi o clipe de Around the World eu fiquei encantado... aliás, criança fica sempre encantada com quase tudo o que vê. Mas enfim, acho que foi com 12 anos que eu tive meu primeiro contato com música eletrônica através do Daft Punk. E um pouco mais tarde que eu fui realmente confirmar que mais do que isso, o Daft é uma das poucas bandas que REALMENTE se destacam nesse meio.

Primeiro, que esses caras foram pioneiros ao introduzir uma boa pitada de rock na eletrônica. Segundo, as produções de clipes, shows, etc. sempre são espetaculares. E em terceiro, o som é de qualidade. Os três discos deles - Homework, Discovery e Human After All - são muito diferentes um do outro e sempre trazem alguma pérola que fica grudada na sua cabeça feito chiclete. Algum engraçadinho até pode dizer que isso acontece por causa do ritmo "bate-estaca" que a música eletrônica geralmente tem. Mas aí tá um outro diferencial deles: algumas músicas são tão anti-eletrônicas que pode até parecer que são de algum cineasta criando um clima num filme de ação. Make Love e Nightvision são um bom exemplo disso.

Mas por quê cargas d'água eu resolvi ficar falando bem de Daft Punk? Por causa do Alive 2007, disco que eles lançaram no fim do ano passado, que é a gravação do melhor show da vida que eu quase fui - quase porque, na época eu já tinha comprado ingresso pra um outro show de um outro artista que se apresentou quase na mesma data e eu não tinha grana pr'os dois, mas outro dia eu falo sobre isso. O que importa é que o Alive 2007 é talvez o melhor álbum deles (e olha que quem diz isso é alguém que geralmente detesta álbuns ao vivo): além de ser um ultra-mega-mash-up de tudo quanto é música que eles já criaram, é um disco que te deixa hipnotizado desde o primeiro momento. Se você já viu algum clipe no You Tube sabe do que eu digo: Aquela pirâmide gigante no meio do palco, mais todas aquelas luzes, telões, laseres... digno de qualquer mega turnê que bandas de rock fazem. E como se isso não bastasse, eles gravaram essa festa toda num disquinho que é praticamente impossível de ser escutado se quem você mexa pelo menos o pé dentro do ônibus (isso é, se de repente você não começa a dançar no meio da rua...).

E eles fizeram escola, senão não haveriam grupos pipocando aí feito o Justice, Simian Mobile Disco, Digitalism e outros que bebem nessa fonte eletro-rock dos caras. Mas há quem deteste, bem verdade. Outro dia mesmo eu fui colocar um disco deles num churrasco que eu fiz com uns amigos e uma fulana lá, quis tirar do som e botar numa rádio pop da vida. O que prova que nem sempre há unanimidade no gosto musical das pessoas. E que, micareteiros não curtem som de qualidade.

Comentários

  • Filipe_Toresu

    Pra fechar, já que eu falei no tal do show, eu vou botar aqui um trecho que justifica porque eu achei sensacional. Dá pra ter uma boa idéia do que foi a passagem deles por aqui em 2006: [youtube]http://br.youtube.com/watch?v=oavFI845Tck[/youtube]

    Fev 1 2008, 11h05
  • JulianFisch

    As músicas do Daft Punk provam que o preconceito com a música eletrônica é redundante e, bobo. Música eletrônica é... música, ora bolas. Tenho certeza que tem muito fulano aí, que apesar de falar mal, já deu umas viajadas ouvindo One More Time ou Aerodynamic. Com tanto apelo guitarreiro, os mais desavisados podem muito bem confundir Aerodynamic com algum solo virtuoso feito por um guitar hero. Considero Discovery um marco no cenário musical; independente do gênero. Todas as músicas têm um feeling meio adolescente, que me dá uma sensação de nostalgia. Uma obra-de-arte, sem dúvida. E isso é um baita de um contraste com o Human After All, maduro e talvez propositalmente imperfeito (se comparado ao Discovery). O Daft Punk se renova a cada álbum e isso é algo que todo artista precisa fazer pelo menos uma vez na vida: se renovar, experimentar coisas novas, deixar sua criatividade abrir novos horizontes. E aquela foto que você postou é uma das mais legais do duo, que resume bem o que estou tentando dizer. A mistura maluca do electro-rock-robótico-espacial estará aí para quem quiser ouví-la com a mente aberta.

    Fev 1 2008, 15h51
  • Nandoss

    Daft Punk é muito bom. O som deles é bem diferente do eletrônico tradicional. Eles usam os elementos da eletrônica pra formar uma música que foge do padrão. Muito bom mesmo. Dizem que o DVD do Alive 2007 é um dos melhores do mundo da música. Não sei se eu chegaria ao ponto de afirmar isso, mas definitivamente pelo pouco que achei perdido na internet é um show que da muita vontade de ter estado lá.

    Fev 1 2008, 18h29
  • Filipe_Toresu

    Ontem, tive uma bela surpresa quando estava vendo a reapresentação do Grammy. Todo mundo sabe que o Kanye West usou um sample de Harder Better Faster Stronger no seu novo disco (obviamente, a música se chama Stronger) - música essa que ele apresentou ontem. E quem melhor para acompanha-lo no palco do que... os próprios! O Daft Punk fez a primeira apresentação na TV em quase 15 anos de carreira, e com direito a pirâmide, roupas brilhando no escuro e tudo mais! O vídeo a seguir: [youtube]http://br.youtube.com/watch?v=ITSK7UynWEg[/youtube]

    Fev 11 2008, 22h06
  • Duccini

    Conheço mto pouco, só aqueles 4 clips em série lá Sobre o vídeo, gostei das luzes. A música é boa, mas eu sinto falta de um baixo e uma guitarra rasgada. Eletrônico eu gosto mais quando é mais calmo, com momentos intensos. Intenso o tempo todo só gosto se for rock mesmo. E o 2º vídeo tá off

    Fev 11 2008, 23h30
Ver todos os 5 comentários
Deixe um comentário. Faça login na Last.fm ou cadastre-se agora (é gratuito).