Biografia

Amigos de infância, Pal Waaktaar e Mags Furuholmen começaram a tocar juntos numa banda de nome Black Sapphire. Inicialmente, começaram mais por um hobby, sem demais pretensões de ‘’conquistar o mundo’‘. Acontece que, com o passar do tempo, chegando na adolescência e muito envolvidos com a música, enxergaram que podiam ter muito futuro se encarassem o hobby como possibilidade real de profissão…
Quando o Bridges se formou e chegou a gravar um disco independente em 1981, Pal e Mags já haviam tocado em diversas bandas, como o Imagination e Spider Empire e, as apresentações em festas de colégio começaram a não serem mais suficientes. Queriam mais. O Bridges, que tinha também Viggo Bondi e Oystein Jevanord, ganhava fama em Oslo e fazia shows em lugares maiores(como o Chateau Neuf de Oslo, onde Morten conheceria Pal e Mags mais tarde)-daí a idéia de lançarem ‘’Fakkeltog’‘, auto-financiado e oferecido de loja em loja. Pal recorda :’‘Foi um projeto muito ambicioso…trinta canções em um disco …Foi loucura, mas tínhamos tanto material !!!Deve ter vendido uma ou duas cópias’’ .Hoje, ‘’Fakkeltog’’ (em norueguês, ‘procissão à luz de tochas’)é uma raridade que os fãs do a-ha disputam pagando alto.

A inquietude de Pal e Mags para aumentar a notoriedade do Bridges acabaria por terminar com a banda ,e seu término se deu em função de mais uma loucura :Londres, o centro mundial da música. Para competir com o melhor, crescer ainda mais, era preciso trocar Oslo por Londres, e dar tudo de si na batalha… Viggo Bondi e Oystein Jevanord não mostraram interesse na idéia. Pal e Mags juntaram 2.000 dólares vendendo seus instrumentos. Estavam prontos para o embarque. Porém, algum tempo antes, durante uma apresentação do Bridges em Oslo, um expectador curioso foi ao show ,assistiu-o e ,depois , mais curioso ainda , fez questão de conhecer os membros da banda. O expectador: Morten Harket. Viggo Bondi o apresentou a Mags. Ficaram amigos. E, na volta para casa, (13km madrugada adentro, à pé) Mags descobriu que Morten também tinha sua própria banda, a Soldier Blues, da qual era vocalista. Morten: ‘’Tocávamos blues e soul—apenas covers. Foi um treino muito bom’‘. Quando Mags o ouviu cantar, tinha encontrado o vocalista perfeito. Só que Morten, informado dos planos de Mags para ir à Inglaterra, acabou recusando. O vocalista perfeito era cauteloso: em primeiro lugar, Pal e Mags eram um capítulo novo, de pouco tempo e, em segundo, não queria mesmo deixar a Noruega. Acabou que Morten ficou em Oslo, enquanto Pal e Mags finalmente foram para Londres.
Em Londres, Pal e Mags ficaram por seis meses. Encontraram frio, a desesperança , a falta de perspectivas e, sem dinheiro até para comerem, tiveram que voltar para casa a pé, e ainda foram multados por pedirem carona na Alemanha!

Depois da difícil volta para a Noruega, Pal e Mags voltaram também a insistir com Morten para uma nova tentativa em Londres. Desta vez ele aceitou -com a condição de que levassem material demonstrativo(os famosos demo tapes).
Para trabalhar os demo tapes, os três se mudaram para a casa de campo dos pais de Pal em Nernes (Noruega) e permaneceriam lá por algumas semanas até que tudo ficasse pronto. Só que as poucas semanas viraram meses…Duas músicas feitas em Nernes entraram parea o primeiro disco do a-ha :”Living a boy’s adventure tale”, e “Lesson one” , que mais tarde, com título e letras alterados, se tornaria “Take on me”, um dos hits que projetaram o a-ha mundialmente. No dia 2 de janeiro de 1983, Pal e Morten partiram para Londres. Uma semana depois partiu Mags ,que queria namorar um pouco mais Heidi.

Novamente na “guerra”, eles alugaram um pequeno apartamento , e com revistas especializadas nas mãos( “Melody Maker” e”Guide Yearbook of Rock” ) começaram a telefonar para as gravadoras . Pal, Mags e Morten sentiram de perto todo o preconceito contra bandas estrangeiras :”Quando ligávamos dizendo que havia uma banda vinda da Noruega, riam na nossa cara” .Afora esse problema, os dias se passavam ,o dinheiro ia ficando escasso ,e a condição de vida dos garotos que viviam muito bem na Noruega era miserável na Inglaterra: “No apartamento, tínhamos apenas uma lâmpada” . A sobrevivência vinha de trabalhos temporários que conseguiam arranjar ,como numa indústria de construção ,por exemplo.

O desânimo batia à porta mais uma vez :com os demo tapes sendo ouvidos e adorados por gente experiente , mas nada de contrato; acharam uma empresa cujo interesse não era o som que faziam: a Lionheart ,que significou apenas perda de tempo. Para completar , eles estavam trabalhando de maneira irregular no país e, sem autorização , iam ser deportados .De tão desanimado, Morten tencionava mudar de profissão .Tudo estava contra , mas a obsessão de ficar na Inglaterra tinha uma convicção :”Só os ingleses poderiam reconhecer um trabalho bem feito”-disse Mags.
Um belo dia , enquanto tocavam com um harpista, esbarraram em Andy Wickham(caçador de talentos da Warner), que pediu aos três o k7 para que pudesse ouví-los melhor . De tão impressionado , ligou para Terry Slater ,um dos todo-poderosos da gravadora .Terry contactou seus amigos , dizendo-se interessado numa banda nova , de um grande futuro. Pela influência de Terry-que viria a ser o empresário da banda nos primeiros 8 anos de carreira-, o a-ha recebeu um adiantamento de 125.000 dólares , que gastaram “com roupas, diversão, essas coisas”.

O nome “a-ha” foi “achado” por Mags no caderno de notas de Pal e vem da interjeção “aha!” como descoberta, surpresa , enfim. A justificativa para “a-ha” foi a de que os rapazes queriam um nome curto, de fácil memorização, e que lembrasse o som do idioma norueguês. Logo, “aha” era o nome perfeito para a banda, gravado apenas com o hífen para obter um melhor efeito.

O a-ha justificou plenamente o adiantamento da Warner Bros. com um álbum de estréia que vendeu perto de 10 milhões de cópias em 1985, “Hunting high and low”. De cara, o disco emplacou três hits : “Hunting high and low”, “The sun always shines on TV” e “Take on me”. “Take on me” alcançou os primeiros lugares das paradas de vários países, dentre os quais Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Suíça e , claro, Noruega , somando ao todo 23 países simultaneamente. Além disso, faturou todos os prêmios da Billboard, oito da MTV, um Grammy. Pal, Mags e Morten tornaram-se milionários; rapidamente fã-clubes do a-ha foram surgindo e seus shows pelo mundo afora tiveram ingressos esgotados com muitos meses de antecedência. A imprensa passou a correr atrás da banda, que desde então passou a ser chamada de “o maior fenômeno da música pop”. No ano seguinte à estréia do a-ha ,1986, uma gigantesca turnê mundial foi agendada e, por ser um sucesso, quase levou nossos heróis à beira do esgotamento.

Mas eles precisavam continuar trabalhando e surgiu “Scoundrel days” em 1986. Novo sucesso num disco bem mais maduro do que seu antecessor. Emplacam os hits Cry Wolf, I’ve Been Losing You e Manhattan Skyline.

Mais turnês e grandes parcerias, como a trilha de 007 -Marcado para morte, em 1987. O tema do filme, a musica The Living Daylights foi um sucesso.

Em 1988, vem “Stay on these roads”,com o a-ha ambicionando novos ares para a banda. Trabalho que emplacou nada mais do que 5 hits: A faixa-titulo, The Blood That Moves the Body, Touchy!, a balada There’s a Never Forever Thing e a pop You Are the One.

Stay on These Roads é o início para o anuncio do disco que o a-ha considerou como novo caminho : “East of the sun West of the moon” em 1990.Nessa fase o a-ha coloca 200.000 pessoas no Maracanã em janeiro de 1991 -entrando para o Guiness Book. É o a-ha em atmosfera mais densa do que em seus três primeiros trabalhos. Crying in the Rain, regravaçao de Carole King, foi o carro-chefe.

Em 1993, “Memorial beach” chega influenciado pelas guitarras e não mais pela base do piano, que é considerado pelos fãs um trabalho totalmente destoante dos demais ,ainda que de excelente qualidade.Esse foi o último álbum antes do chamado Seven Year Itch: o público ficaria longos 7 anos sem o a-ha em cena.
Durante os 7 anos longe dos spotlights , o a-ha permaneceu hibernando enquanto Pal,Mags e Morten seguiram para projetos solos. Longe da intenção de sobrepujar o a-ha em termos de sucesso comercial, Pal,Mags e Morten estiveram sim ligados em coisas que para eles fossem substanciais enquanto artistas. Assim, em 1994 Mags experimentou ser trilheiro e permanece enquanto tal até os dias de hoje mas também dedicou-se às artes plásticas com exposições pelo mundo afora. Em 2004, lançou Past Perfect Future tense ,seu primeiro trabalho solo enquanto cantor. E trouxe para sua bela obra membros do Coldplay -o novo sucesso do pop. Morten lançou três álbuns. O primeiro deles, Wild Seed, gravado em inglês, ficou 10 semanas em primeiro lugar na Noruega,dando a Morten os principais prêmios Spellemann , que é o mais importante da Europa. Além de Wild Seed Morten havia gravado um álbum gospel em norueguês, “Poetenes Evangelium”,em 1993 e também “Vogts Villa” em 1996. Os trabalhos solos deram a Morten o vigor necessário para que voltasse ao a-ha também como compositor -e tem feito grande sucesso.Em 2002, seu hit com Mags, “Forever not yours”, foi amplamente elogiado pela crítica. Além dos trabalhos com a música, Morten dedicou-se às causas humanitárias.

Pal formou a banda Savoy com a esposa Lauren e até hoje já lançou cinco álbuns : Mary is coming, Lackluster me, Mountains of time,Reasons to stay indoors e Savoy. Já venceu o Spellemann Award várias vezes como melhor banda que rock-estilo que cultua fora do a-ha.

Em 1998, convidado a fazer peformance no Prêmio Nobel da Paz, o a-ha finalmente resolveu atender o pedido - era o ensaio de uma volta. “A idéia não era mostrarmos uma música velha” - afirmou Pal. Então, a banda se fechou por 3 semanas em Oslo e enfim, “Summer moved on” foi concebida. A bela recepção que a canção teve foi fator decisivo para que ,em 2000, ela fosse escolhida como o hit da volta. Após a coletiva prestada em Paris , França, a 16 de março de 2000 - incluindo 200 jornalistas de todos os cantos do mundo e 8 tvs mundiais - o a-ha voltaria a sacudir o mundo novamente : ” Minor Earth | Major Sky” atingiu as principais paradas da Europa e permitiu ao a-ha uma volta triunfal após 7 anos ,evitando um retorno repetitivo e patético como, por exemplo, retornar com “Take on me”-seu primeiro sucesso. Além de “Summer Moved on”, emplacaram tambem “Velvet” e “Minor Earth Major Sky”

Toda a movimentação que houve em torno da volta do a-ha colocou o segundo álbum da volta - “Lifelines” - com as expectativas nas alturas. E mais uma vez, o a-ha não decepcionou. “Lifelines” também alcançou os primeiros lugares da Europa - os críticos ingleses colocaram o álbum dentre os 10 mais do país-ocupando o 4o. lugar.É durante a turnê “Lifelines” que o a-ha põe o Royal Albert Hall em Londres lotado com meses de antecedência . Na crítica sobre o show, o jornal The Independent chama o a-ha de ” genios pop das 2 últimas décadas” . Londres lotara assim como Paris, Berlim,Bruxelas,Glaslow - repetindo o feito em todos os lugares onde tocaria e até mesmo em países mais periféricos :na Letônia ,o recorde de público num show -que pertencia ao Depeche Mode - deu lugar ao a-ha. Em 2002, o a-ha retornou ao Brasil após 11 anos. Ainda que todo descaso da então gravadora, WEA, fosse visível e que por conta disso o a-ha não tivesse nenhuma divulgação, seus 5 shows em terras nacionais foram um grande sucesso.

Em 2003, finalmente o a-ha lança aquilo que era esperado há muito tempo : seu primeiro cd ao vivo : “How can I sleep with your voice in my head - a-ha live ” é lançado em 2003 em duas versões.A dupla, traz na versão digipak 20 músicas , incluindo poster e vídeo da turnê num álbum todo caprichado. Novamente, há grande repercussão pelo lançamento, que recebeu nota média 9 dentre a crítica mais ferrenha no mundo inteiro.O disco é a gravação da turnê Lifelines.No Brasil,a total inércia da gravadora não permitiu aos brasileiros ter o cd. Para se ouvir a-ha ao vivo e atual, é necessário importar o disco a custo bem elevado.

Em 2004 o a-ha decide romper com a WEA e assina contrato com a poderosa Universal Music. O fim do casamento do a-ha é selado com o lançamento de “a-ha - The Singles 1984-2004” - que vai novamente para os charts britânicos e também do Brasil dentre os 10 mais vendidos do país.

Em 2005 sai mais um disco, Analogue, mais focado no rock atual. O primeiro hit, “Celice”, já está nas rádios da Europa rumando aos primeiros lugares. A música ,que agradou em cheio aos fãs, é considerada como “vício”.

Lançado em 2009, Foot Of The Mountain é o nono e mais recente álbum de estúdio da banda, e marca um regresso às sonoridades electro-pop que definiram os primeiros discos do trio. Vem sendo divulgado na Europa e estima-se que deverá chegar às lojas brasileiras em setembro. O single “Foot of The Mountain” já é sucesso e figura entre as top 10 de rádios no mundo inteiro.

Após 20 anos, a-ha permanece como a maior e única banda norueguesa da história da música em todos os tempos a conseguir tamanha repercussão pelo período de 2 décadas. Nós fazemos votos de que no mínimo,possamos acompanhar mais 2, 3 ,4 décadas da melhor música pop do mundo.

É a banda do momento!

Editado por mescaline_z em Jul 2 2009, 19h45

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 6. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.