Biografia

A família Van Halen era uma família de músicos. O pai de Edward e Alex tocava clarinete, e os dois aprenderam a tocar piano (clássico) desde cedo. Mais tarde, resolveram trocar o instrumento por uma guitarra e uma bateria. O curioso é que Eddie tocava bateria e Alex, guitarra! Com o tempo, Alex se interessou pela bateria e logo estava tocando melhor que o irmão, que decidiu ir tocar a guitarra. Troca maravilhosa se pensarmos nos músicos em que se tornaram. Isso tudo se deu no final dos anos 60 e início dos 70. Os irmãos faziam covers em algumas bandas; quando no momento, Eddie, que fazia os vocais nas bandas em que tocava na época, conheceu David Lee Roth em 1972, que havia se mudado para a Califórnia e até então fazia parte da banda The Red Ball Jets, e o convidou para ser o vocalista e começaram a tocar juntos.

Foi numa noite, enquanto dividiam um show com uma banda chamada Snake, que eles conheceram Michael Anthony (que era o vocalista e baixista). Mike foi convidado a tocar com eles, mais tarde pediram que se juntasse à banda, que se chamava então, Mammoth. Nessa época, descobriram que havia outra banda nos E.U.A. com esse mesmo nome, foi decidido trocá-lo. Alguns nomes foram sugeridos mas acabaram decidindo pelo sobrenome dos irmãos Van Halen. Sendo assim, O Van Halen ficou constituído por David Lee Roth (vocal), Edward Lodewijk Van Halen (guitarra e teclado), Alex Arthur Van Halen (bateria) e Michael Anthony (baixo). A banda começou tocando covers e em pouco tempo se tornou a banda mais conhecida nos bares de Los Angeles.

Em 76, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons (KISS) descobriu-os e decidiu fazer uma demo com a banda (cujo equipamento era todo emprestado!). A demo, que continha a primeira versão de Runnin’ with the Devil, que não deu muito certo, não sendo aceite pelas gravadoras. No ano seguinte, um produtor da Warner conheceu a banda (no mesmo bar em que Gene os encontrou) e contratou-os. Em 78 saiu o primeiro álbum: Van Halen.

O sucesso veio não só do público (que adorou a banda) mas também da crítica pela faixa Eruption, um solo de guitarra que elevaria Eddie Van Halen ao mais alto patamar da história da guitarra; e também pelo single “Jump” (do sexto disco, 1984, homônimo do ano de lançamento), colocando definitivamente o nome do Van Halen na história do rock.

A banda lançou mais 5 álbuns nos cinco anos seguintes, mantendo a formação original. Em Janeiro de 1983 a banda se apresentou no Brasil (e também na Argentina, no Uruguai e na Venezuela), para a sorte de quem foi, pois a banda não voltou desde então.

A formação original durou até 1984, pois, por motivos de desentendimento, David Lee Roth deixa Van Halen.

E então, em meados de 1985, foi um “tal” de Frank Zappa quem recomendou um novo vocalista, Sammy Hagar, para Van Halen. Logo no primeiro encontro no estúdio, foi composta Summer Nights, indicando que Sammy seria o substituto perfeito. O álbum seguinte, em 1986, foi 5150, um disco que não decepcionou os fãs que estavam empolgados com o sucesso de “1984”, e que também se tornou o número 1 da parada norte americana, com sucessos como Dreams e Why Can’t This Be Love?. Os fãs preocupados podiam agora dormir tranquilos, pois Van Halen estava com força total.

Mais 4 LP’s e muito sucesso, e nova preocupação para os fãs. Sammy diz que foi despedido da banda, apesar de Eddie insistir que Sammy saiu amigavelmente e por vontade própria. Não se sabe ao certo, o fato é que David Lee Roth voltou para gravar duas músicas, Can’t Get This Stuff No More e Me Wise Magic, que seriam incluídas no Best Of Vol. 1, de 96, dizem que isso provocou ciúmes em Sammy. Cogitou-se a idéia de uma volta à formação original, o que na verdade, não aconteceu.

Ray Danniels, empresário da banda, sugeriu Gary Cherone (ex- Extreme) para a vaga de vocalista. Foi marcado um encontro no qual a banda aceitou-o de imediato. No início de 1998, saiu Van Halen III que foi um fracasso. Eddie chegou a tocar bateria em algumas músicas, como se isso fosse necessário, e até a mesmo a cantar em uma delas. Cherone não ficou muito tempo no novo emprego, deixando a banda logo após a turnê de divulgação do disco.

Eddie passa então por um momento turbulento, separa-se após anos de casamento e também tem diagnosticado um câncer na língua. O grupo fica em suspenso. Michael Antony acompanha Sammy Hagar em seus shows solo.

É lançada uma coletânea “Greatest Hits - Volume I”, com duas músicas inéditas gravadas com Dave Lee Roth nos vocais. Mais uma confusão: Dave diz ao vivo na MTV que estava de volta à banda, inclusive haviam aparecido juntos em uma cerimônia de premiação, mas a banda nega e volta às férias.

Em 26 de abril de 2001, Edward anunciou no site oficial da banda que fora examinado por três oncologistas e três cirurgiões de cabeça e pescoço, que afirmaram que ele estaria “mais saudável do que nunca e vencendo o câncer”.

Lançado em 2003, o DVD “The Van Halen Story: The Early Years” relembra toda a trajetória da banda. “The Best Of Both Worlds”, chegou às lojas dois anos depois reunindo 33 clássicos de sucesso do grupo, além das inéditas “It’s About Time”, “Learning To See” e o single “Up For Breackfast”

Em 2004, Sammy Hagar volta a banda e grava a coletânea “The Best of Both Worlds” com 3 músicas inéditas, faz uma turnê pelos Estados Unidos e sai da banda novamente deixando os fãs a ver navios. Há rumores da volta da banda com Dave Lee Roth nos vocais, mas enquanto isso não se concretiza a banda continua inativa. Não se sabe ao certo qual será o futuro do Van Halen. Muitos boatos sobre uma possível volta de David Lee Roth nos vocais são confirmados e desmentidos a todo instante. Em 2005 depois de uma nota publicada pelo baixista Michael Anthony, no site oficial, voltou a se questionar sobre o futuro da banda.

Em 2006, Sammy e Mike se desligam da banda. Eddie grava solo, pela primeira vez, duas músicas (instrumentais) para um filme adulto “Sacred Sin”: “Catherine” e “Rise”. No mesmo ano, o site oficial da banda deixa de existir.

Novamente é cogitado retorno de Dave à banda. O baixista Michael Anthony anuncia sua saída do grupo no mesmo ano; após isso, o filho de Eddie faz os primeiros ensaios no baixo com a banda.

Em recente entrevista à revista Guitar World Magazine, Eddie Van Halen declarou aquilo que milhares de fãs do grupo esperavam: ele e seus companheiros estão prontos para seguir em frente. E, de preferência, com David Lee Roth.

“Eu converso com Dave e falo: “Cara, mexa-se, venha para cá e cante! Vamos lá”, disse o líder do Van Halen. “Do jeito que a situação se encontra, a decisão depende de Dave. O que ele decidir disso tudo cabe somente a ele, mas nós já estamos prontos para seguir”.

Em Agosto de 2007, finalmente a banda concedeu uma coletiva onde afirmou que estaria realmente saindo em turnê, com David Lee Roth nos vocais e Wolfgang Van Halen (filho de Eddie Van Halen) no baixo. A turnê percorreu várias cidades dos Estados Unidos, com ingressos esgotados em todos os locais por onde passou, arrecadando a histórica quantia de 93 milhões de dólares.

Discografia:

Álbuns em estúdio:

Van Halen (1978)
Van Halen II (1979)
Women and Children First (1980)
Fair Warning (1981)
Diver Down (1982)
1984 (1984)
5150 (1986)
OU812 (1988)
For Unlawful Carnal Knowledge (1991)
Balance (1995)
Van Halen III (1998)

Editado por decokoy em Jun 29 2010, 12h33

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 3. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.