Biografia

O Mondo Generator pode ser descrito como a veia punk do “stoner rock”. Pode parecer um tanto esquisito, mas explica exatamente a proposta da banda que tem sua história centrada na figura de Nick Oliveri, ex-baixista do Kyuss.

Logo após gravar o álbum conceitual “Blues For the Red Sun” ao lado de seus companheiros de Kyuss, Nick Oliveri deixou a banda pelas diferenças de caminhos que estavam seguindo: o Kyuss sendo mais experimental, e Nick sentindo a necessidade de mais agressividade, seguindo um caminho mais voltado ao punk, como dos tempos de “Wretch”, o primeiro disco da banda. Nick, então, se juntou ao vocalista e enchedor-de-saco-profissional Blag Dahlia, tornando-se membro da banda punk tosca e depravada de Los Angeles, The Dwarves. Adotando o pseudônimo de Rex Everything, ele participou das gravações dos dois últimos álbuns da banda: “Dwarves Are Young and Good Looking” e “How to Win Friends and Influence People”, sendo também co-autor de várias canções.

Após várias turnês, em 97, Nick decide dar um tempo e se reaproxima dos ex-companheiros de Kyuss, que se juntaram a ele em estúdio para gravar algumas canções num projeto que ele estava realizando com alguns amigos músicos do Texas. O projeto, batizado de Mondo Generator (nome tirado da última música que Nick escreveu nos tempos de Kyuss e que fecha o álbum “Blues for the Red Sun”), saiu fazendo pequenos shows pelos EUA para construir uma base de fãs. Em 1998, após um show da banda no Texas, Josh Homme (o ex-guitarrista do Kyuss, que havia acabado de finalizar o álbum marcando a estréia de sua nova banda, o Queens of the Stone Age) convida Nick para fazer parte da recém-formada banda. Ele prontamente aceita e com isso deixa seu projeto na geladeira e as fitas de gravação do que seria o primeiro álbum do Mondo Generator ficam engavetadas enquanto os dois se dedicavam exclusivamente às turnês de divulgação da nova banda.

Certo dia, Nick voltou a escutar as fitas e achou potencial nelas. A gravadora Southern Lord logo mostrou interesse em lançar o material, que finalmente vê a luz do dia 3 anos após ter sido gravado. O resultado é “Cocaine Rodeo” de 2000, um disco que mostra exatamente no que consiste o Mondo Generator, com toda a agressividade de Nick e faixas não muito diversas sonoramente, carregado de um som punk sujo e sem economizar no peso dos instrumentos. O disco vendeu bem na cena underground e a banda ganhou status de cult com seus raríssimos shows ao vivo (devido às intensas turnês do QotSA). Além disso, a faixa de abertura de “Cocaine Rodeo” chamada “13th Floor” foi reaproveitada pelo QotSA com o título mudado para “Tension Head”, no álbum “Rated R”.

Com shows esporádicos nos intervalos de Nick nas atividades do Queens, o Mondo só volta ao estúdio em 2003 entre as turnês do terceiro álbum das rainhas, “Songs for the Deaf”. O sucessor de “Cocaine Rodeo” é baseado em idéias que não foram aproveitadas ou que simplesmente não se encaixavam no álbum do QotSA, por isso fazer uma ligação entre os dois discos é bem comum. Nick chamou Brad Cook e Blag Dahlia para a produção do álbum, o deixando mais livre para se concentrar apenas na composição das canções. Ele ainda contou com as colaborações de Molly McGuire [The Spores, Yellow #5 e Earthlings?], Dave Catching [Earthlings?, QotSA, Yellow #5], Brant Bjork, Mark Lanegan [Screaming Trees, QotSA] participando com vocais na belíssima “Four Corners”, John Freese [A Perfect Circle], entre outros e mostra um Mondo mais experimentalista, com uma produção mais limpa, canções mais dispersas e de certa forma com uma aura mais alegre, ainda que boa parte das canções fale sobre frustrações amorosas (Nick se divorciou durante a concepção do álbum). Uma evolução em relação ao som punk cru de “Cocaine Rodeo” é apresentada em “A Drug Problem That Never Existed”, lançado pela Ipecac (o já conhecido abrigo de artistas malucos chefiado por Mike Patton, ex-Faith No More) ainda em 2003.

Dessa vez Nick decidiu fazer uma turnê para promover o álbum e montou uma banda para os shows, o que lhes garantiu um lugar no segundo palco do festival alternativo Lollapalooza. Sempre com shows imprevisíveis, e certas vezes até “explosivos”, é muito difícil sair decepcionado de uma apresentação deles. Várias pequenas turnês européias foram arranjadas até que Nick teve que voltar novamente a divulgação do álbum do Queens.

Em 2004, logo após as turnês, Nick é demitido do QotSA por Josh Homme devido ao seu comportamento auto-destrutivo regado a álcool e drogas. Após uma pequena mudança no line-up com a entrada de Alfredo Hernandez (segundo ex-baterista do Kyuss) no lugar de Brant Bjork, o Mondo sai abrindo shows para o mesmo Brant Bjork, agora em carreira solo ao lado da banda The Bros. Num dos shows da turnê, Nick perde a razão devido a um aparente problema no som, discute e espanca um engenheiro de som da banda após cinco canções, o que leva os outros membros a decidirem continuar o resto das datas marcadas sem Nick, apenas como um trio instrumental. Após ser “demitido” de sua própria banda, Nick sai fazendo pequenos shows acústicos. Com o término da turnê, os membros remanescentes do Mondo seguem seus caminhos em outros projetos enquanto Oliveri logo lança um EP com b-sides chamado apenas de “III”, para abafar a situação a tempo de arranjar uma nova formação, que viria a ser Nick no baixo e vocais, Mark Diamond na guitarra e Josh “Headly” Lamar na bateria. Após alguns shows pelos EUA, Nick coloca a banda em pausa novamente para focar suas atenções em seu primeiro esforço solo com um álbum acústico intitulado “Demolition Day”, prometendo um novo álbum do Mondo para 2005.

Num de seus shows, Nick convida Ben Thomas e Ben Perrier da banda inglesa Winnebago Deal para tocar com ele um set do Mondo Generator, ao invés do solo acústico preparado para a noite. Os dois aprenderam as músicas na checagem de som e após o show, Nick os convida a fazerem parte (mesmo que provisoriamente) da banda. Esta é a formação que entrará em estúdio para gravar o terceiro rebento do Mondo Generator, que contará com participações especiais dos membros do QotSA. Só resta esperar pelo que vem por aí.

R.
maio/2005
http://dyingdays.net/Mondo_Generator/index.html

Editado por igorfc em Jun 19 2011, 9h32

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 3. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.