Biografia

É estranho acreditar que o resultado da equação Adriano Cintra mais Marina Vello tenha como resultado algo tão sutil, refinado e classudo. Para quem não ligou os nomes as pessoas, os dois são antigos membros do Cansei de Ser Sexy e Bonde do Rolê, respectivamente. Ele era o cabeça por trás da banda de eletrorock de garotas e ela a voz do projeto de funk carioca de Curitiba. Agora os dois se unem em um projeto que se revela uma boa surpresa: Madrid (nada a ver com a capital espanhola, mas sim uma junção dos nomes dos integrantes, ao estilo daqueles pais que batizam seus filhos como Marielton ou Josimar), com uma música séria e delicada não lembra em nada o provável resultado de fusão entre Cansei de Ser Sexy e Bonde do Rolê.

Adriano conheceu Marina por volta de 2006, quando ambos estavam com seus projetos anteriores. Marina deixou o Bonde em 2008, Adriano deixou CSS em 2011. Marina mora em Londres, Adriano em São Paulo. Até o final de 2011 Marina veio para São Paulo por uma semana e eles conseguiram escrever um par de canções. Gostaram tanto do que fizeram que eles decidiram que tinham que escrever um álbum inteiro. Em Fevereiro de 2012 Marina volta para São Paulo por dois meses: missão cumprida. Eles escreveram e produziram Madrid, o álbum. A banda.

O divórcio nem um pouco tranquilo entre Cintra e CSS (seguido de troca de farpas na imprensa e desdobramentos judiciais) certamente influenciou no clima down e obscuro do álbum. A separação de Marina e Bonde aparentemente foi menos dramática e superada a mais tempo. Cintra, homem de muitos projetos e que já tinha historia e estrada antes de estourar com o CSS, comprova o seu talento em arranjos simples e belos, com piano e voz como elementos principais. Totalmente feito a quatro mãos, em um esquema lo-fi e caseiro que contribui para o aconchego confortável do álbum, Madrid é bem construído e finalizado.

A composição do disco não ficou a cargo somente de Adriano. Marina Vello também toca e assina as músicas, e, principalmente, canta a maioria das faixas (todas em inglês). A voz de Adriano, apesar de funcionar como um complemento em certos momentos, se destaca um pouco menos, não ficando a altura e revelando uma diferença sensível. Mesmo assim, em Poison ele se arrisca sozinho nos vocais e o resultado é uma das faixas mais interessantes do álbum. Já a seguinte, a dolorida Bride Dress in a Fame, mostra porque que Marina é a voz do álbum.

Editado por gleison_rodolfo em Set 2 2012, 23h49

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 8. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.