Biografia

Leon James “Lee” DeWyze (nascido em 2 de Abril de 1986) é cantor e compositor americano, natural de Mount Prospect, Illinois.

Filho de Lee Dewyze e Kathleen DeWyze, esse jovem de 24 anos aprendeu sozinho a tocar violão e mostrou seu interesse pela musica desde cedo. Aos 17 anos, enquanto tocava e cantava na festa de um amigo, Lee foi descoberto por Louis Svitek que comanda a gravadora independente WuLi Records. A partir daí surge a Lee DeWyze Band, formada por Louis Svitek, Ryan McGuire e Jeff Henderson. Como resultado de shows locais, a banda ficou conhecida, chegando a tocar na WXRT muito antes de ele tentar o American Idol.

Mas não é só de música que o passado de Lee é feito. O rapaz também traz em seu currículo uma expulsão escolar. Depois de sair da Prospect High School, em Mount Prospect, Lee frequentou uma escola alternativa em Arlington Heigths (Illinois), tendo sido incentivado por seus professores a voltar aos estudos.

Cinco anos antes de se tornar o novo American Idol, Lee foi lançado dentro de um intenso drama familiar. Sua avó, Ellen DeWyze, foi assassinada por seu próprio filho, John (tio do Lee), que segundo informações da época, sofria de problemas psíquicos. A história, contudo, nunca foi citada por DeWyze durante sua participação no show.

Em 2007, Lee lança seu álbum de estréia intitulado “So I’m Told” e em 2010, antes de ele entrar para o programa, lançou “Slumberland”.

Depois de ter sido encorajado por seu amigo Vincent Ferrara (que também tentou uma vaga) Lee participou das audições para a nona temporada do American Idol, em Chicago, no United Center (22 de junho de 2009), cantando “Ain’t No Sunshine” de Bill Withers. Com essa apresentação Dewyze conseguiu uma vaga para a Hollywood Week.

Hollywood Week, Top 24, Top 12, Top 6, Top 2 e sem nenhum Bottom 3 em sua trajetória, Lee DeWyze derrota Crystal Bowersox e é coroado em 26/05/2010 como o mais novo American Idol.

JORNADA NO AMERICAN IDOL

Tendo Kris Kristofferson,Cat Stevens, James Taylor e Simon & Garfunkel (entre outros do estilo e ) como influências musicais e sendo mostrado apenas no episódio 9 “Best Of The Rest Auditions”, exibido no dia 3 de fevereiro de 2010, Lee começou sua trajetória no American Idol fazendo a audição em Chicago, onde interpretou o clássico de Bill Withers, “Ain’t No Sunshine”. Ele dividiu airtime com Crystal (com quem, coincidentemente, dividiu também a final) e teve sua audition intercalada com a dela.

Durante a Hollywood Week, Lee também não teve muito destaque. O #1 roundnão foi exibido no programa Já na fase dos grupos, Lee esteve no palco com seus futuros colegas de Top 12, Crystal Bowersox e Aaron Kelly. Eles interpretaram a canção “get ready” (The Templations) e passaram para a fase seguinte, na qual DeWyze cantou o clássico “You Found Me” (The Fray) e carimbou de vez seu passaporte para o Top 24.

Ao ouvir da boca de Kara que estava no Top 24, Lee se emocionou e declarou: “Eu vou ser honesto: Quando eu comecei eu tinha uma atitude diferente, ‘Eu não me importo. Oh, American Idol, que seja, eu vou apenas tentar’. E, agora, você aprende a se importar, a apreciar a música por tudo que ela é. São pessoas reais tentando fazer isso. Eu estava ali sentado com 50 pessoas querendo o mesmo que eu consegui, isto é, chegar ao Top 24 do American Idol, o maior programa na história do mundo. E eu faço parte.

No Top 24, Lee surpreendeu a todos ao apresentar a tão conhecida “Chasing Cars” (Snow Patrol), mas com um arranjo diferente e arrancou elogios dos jurados. Randy disse que ele possuía uma ótima voz, ao passo que Simon considerou sua performance daquela noite a melhor por uma milha. Lee também foi elogiado pelos mais diversos sites de críticas, que o classificaram como dark Horse da temporada. Naquela semana, Lee começou a conquistar uma fanbase sólida, que só iria aumentar com o decorrer das apresentações.

Na semana do Top 20, Lee deixou de lado seu habitual companheiro violão e interpretou a canção “Lips of Angel” (Hinder) e apesar de receber novamente elogios dos jurados (Kara disse que a versão foi absolutamente comercial e Simon o classificou como a melhor voz dentre os homens), ele foi alvo de várias críticas no que diz respeito à desafinação séria que apresentou. Porém, mesmo após elas, avançou para a próxima fase, carregando mais fãs e se aproximando do tão almejado Top 12.

Chegando ao Top 16, Lee apostou em “Fireflies”, sucesso do Owl City. Claramente mais afinado e tocando seu violão, mostrou estar à vontade e fez uma boa apresentação, se firmando no Top 12 (mesmo com o susto dado pelo Ryan, fazendo dele o último dos homens a ser salvo). Antes dos resultados, os maiores veículos destinados a críticas do programa já davam como certa a chegada de Lee ao Top 12. Na mesma semana, começou-se a ver um maior progresso em sua jornada e sua fanbase crescia a passos lentos.

O Top 12 marcou o começo das semanas temáticas e esse ano foi aberto com osclássicos dos Rolling Stones. Lee voltou novamente com a vibe de “Chasing Cars” e cantou “Beast of Burden” em uma balada envolvente e chamou atenção para a constante evolução que estava galgando. Kara chegou a dizer que ele estava crescendo mais rápido que os outros, o que veio a ser comprovado no dia seguinte, quando Lee avançou para o Top 11 sem passar pelo bottom 3.

Com o tema “#1 da Billboard” e Miley Cyrus de mentora, o Top 11 veio. A song choice de Lee foi “[track artist=Box Tops]The Letter
” (Box Tops) e o único conselho que ele ouviu da mentora da semana foi para alcançar uma nota maior e surpreender a plateia. Diminuindo as desafinadas, fez uma boa apresentação. Não se destacou como na semana Rolling Stones, mas surpreendeu com o toque de que deu para a canção e com os instrumentos de sopro que o acompanharam. Não foi memorável e ele perdeu, sim, a chance de ter um ‘moment’, mas foi o suficiente para passá-lo com folga ao Top 10.

E foi aqui, no Top 10, com Usher de mentor e R&B e como tema, que as coisas começaram a mudar – definitivamente. Após seguir o conselho de Usher, que o tentou fazer mais seguro, Lee deu um show interpretando uma versão pop/rock e de “Treat Her Like A Lady” (The Cornelius Brothers And Sister Rose). Sem desafinar e começando soft para estrondar depois, Lee mostrou toda sua voz áspera e foi o destaque da noite, entrando de vez na briga pelo título de American Idol 2010. Sua performance foi considerada a melhor da noite por diversos lugares e arrancou elogios. Como disse o Simon, “a noite que pode ter mudado (e mudou) a vida dele para sempre.”

E para os que reclamavam que o Lee sempre fazia “mais do mesmo”, no Top 09ele mostrou que pode surpreender. Fechando a noite de apresentações com o tema “Beatles”, Lee cantou o clássico “Hey Jude” e inovou trazendo para o palco uma gaita de foles tocada por alguém devidamente caracterizado. O som da gaita ornou com a canção, mesmo que muitos tenham classificado como “aleatório”. Houve algumas desafinadas, mas ele compensou na presença de palco, que já estava definitivamente melhor. Sorrisos, interação com a plateia, batidinha de pé… Lee estava definitivamente à vontade e não tinha como não passar para a semana seguinte. E, claro, ele passou.

Após o safe card dos jurados ter sido usado em favor de Michael Lynche, o Top 09 voltou, agora com canções de um dos maiores cantores de todos os tempos:o rei Elvis Presley. A escolha de Lee foi a consagrada “A Little Less Conversation”. Seguindo o conselho do então mentor Adam Lambert, Lee se mostrou mais a vontade no palco e cantou sorrindo. E, novamente, deixou sua marca registrada fazendo sua própria versão da canção. Sem desafinar e mostrando sua alma de rocker, Lee foi bastante elogiado por seu desempenho, seguiu em segurança para a semana seguinte e confirmou – mais uma vez – sua gritante evolução ao decorrer das apresentações.

O Top 07 trouxe como tema “Inspirational Songs”, ou seja, aquelas músicas que passam emoção e te inspiram. Com Alicia Keys de mentora e o Idols Give Back batendo a porta, Lee escolheu “The Boxer”, de Simon and Garfunkel, que o próprio Lee já tinha afirmado ser uma de suas inspirações. E ele, novamente, foi bem. Mostrou uma conexão com a música e provou sua versatilidade, saindo um pouco da linha pop/rock e investindo em algo meio . E, o mais importante, o Lee passou a emoção que o tema pedia. Conseguimos sentir que ele gostava REALMENTE da música e estava seguro. A evolução da presença de palco também já gritava aos olhos. E assim ele seguiu para o Top 06, novamente sem estar entre os 03 menos votados.

Chegando ao Top 06, Lee se reencontrou com Shania Twain (mentora da semana e jurada das auditions em Chicago). Ela disse para que ele não fosse muito afobado com a música. Com o tema “Songbook of Shania”, Lee escolheu uma das mais conhecidas músicas da cantora, “You’re Still The One”, o que não funcionou muito bem. Se ele tivesse usado apenas o piano (como em uma parte do ensaio), talvez ficasse melhor. Com o violão, Lee voltou a desafinação que há tanto não apresentava e foi novamente criticado. Mesmo assim, passou para o TOP 05, novamente sem bottom.

Sendo obrigado a sair de sua zona de conforto e apresentar um e sem usar instrumentos, Lee marcou o Top 05 com sua apresentação de “That’s Life”, clássico do já clássico Frank Sinatra. Seguindo o conselho do então mentor, Harry Cornick Jr, de pronunciar as palavras com mais clareza e acompanhado de um órgão, Lee incorporou a vibe que o tema pedia e se soltou. Mostrou uma presença de palco infinitamente superior à última vez que se apresentou sem violão, dominou a música e a plateia e sua performance foi considerada por muitos (inclusive pelos jurados)como a melhor da noite. Kara disse que ele deveria acreditar que poderia vencer aquilo tudo.

“Músicas de Filmes” foi o tema do Top 04, que trouxe Jamie Foxx de volta como mentor (Ele havia participado da temporada passada) e “Kiss from a Rose”( Seal) como escolha solo do Lee. Ele novamente foi o primeiro da noite (como em The Letter e You’re Still the One) e foi novamente criticado por apresentar uma afinação irregular e por escolher uma música cheia de ‘lalala’. A verdade é que mesmo não apresentando um vocal perfeito, Lee estava à vontade como nunca no palco e a gente conseguiu sentir que ele realmente gostava da música. E a sinceridade com que se interpreta, querendo ou não, conta.

Mas na mesma semana, Lee deu a volta por cima ao dividir o palco com Crystal Bowersox para cantar a consagrada canção “Falling Slowly” . E os dois deram um show, entregando aquela que é considerada por uma parte dos expectadores como a melhor performance da temporada. Cantaram com o coração e com uma química explosiva. Desde a troca de olhares até as luzes girando ao redor, Lee e Crystal soltaram suas vozes e fizeram uma excelente interpretação que os levou em segurança até o Top 03.

Como de costume, o Top 03 desse ano também participou do já clássico“Homecoming”. Voltando para sua cidade de origem, passando por lugares marcantes, emocionando a todos – e se emocionando, Lee atraiu um público superior a 40.000 pessoas (a maior reunião em um Homecoming dessa temporada). Passando por uma previsão do tempo, visitando sua escola e uma antiga loja de tintas, DeWyze não se segurou, esqueceu a letra e até caiu no choro ao entoar The Boxer para o grande público presente. Um verdadeiro artista, se entregando de corpo e alma àquilo que é seu sonho.

Durante o Top 03, Lee chamou novamente as atenções para si. Como escolha pessoal, usou e abusou da emoção cantando “Simple Man” (Lynyrd Skynyrd). Exalando sinceridade e claramente se sentindo em casa, Lee dominou o palco, não desafinou e deixou orgulhosa toda sua enorme fanbase ao redor do mundo. O que não se sabia – ainda – era que a emoção da noite estava apenas começando. Seu “big moment” viria a seguir.

Escolhida a dedo por Simon, Hallelujah foi a canção interpretada por Lee no fim da noite de apresentações do Top 03. E foi, usando as palavras de Kara, um “epic moment”. Vestido de branco e com seu inseparável violão, Lee entoou a clássica canção com maestria e acompanhado de um coral. Teve emoção, teve sinceridade, teve realidade. Veio para provar para os que ainda duvidavam de sua qualidade como cantor e performer. Durante a apresentação (e por um bom tempo depois) Lee ocupou a primeira posição nos Trendig Topics (assuntos mais comentados no Twitter) e, como não poderia deixar de ser, avançou para a tão sonhada final.

Tendo o direito de reprisar uma apresentação, Lee abriu a noite do Top 02interpretando novamente “The Boxer”, que ficara marcante em sua voz semanas antes com o Top 06 e em suas apresentações durante o Homecoming. O maior inimigo de DeWyze àquela noite, contudo, não foi Crystal Bowersox e sim o nervosismo que Lee terminou por deixar transparecer. O que, porém, não o impediu de fazer uma boa apresentação. Não melhor, mas ao nível da primeira vez que entoara aquela canção.
Seguindo a escolha do produtor do programa, Simon Fuller, no 2° round da noite Lee interpretou o clássico de R.E.M, “Everybody Hurts”. Seguindo a linha de “The Boxer”, fez novamente uma boa apresentação, mostrando-se a vontade com o palco e com a canção.
Interpretando aquele que futuramente seria seu single, DeWyze abriu o round final da disputa com Crystal mostrando uma maior desenvoltura no palco, apresentando-se sem violão e cantando a clássica canção do grupo U2, “Beautiful Day”. Lee foi elogiado por sua performance e 24 horas depois colheu os frutos da mesma e de tudo que fez no programa: com 2% de diferença, o jovem ex-vendedor de tintas derrotou a outrora favorita ao prêmio Crystal Bowersox e tornou-se o mais novo American Idol. Para ele, um sonho realizado e mais um passo para se tornar um rockstar. A satisfação e o agradecimento nos olhos saltavam a quem assistisse. Para nós, fãs, um imenso sentimento de orgulho que é simplesmente impossível de ser transformado em palavras. Because we beLEEved.

2010
Illinois,Estados Unidos

Editado por helly_udi em Out 21 2011, 23h10

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Formada em
  • 2010
Fundada em
  • Illinois,Estados Unidos

Você está vendo a versão 13. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.