The Fame Monster é o segundo álbum da artista musical estadunidense Lady Gaga. Foi lançado em 18 de novembro de 2009 através da Interscope Records. Inicialmente previsto a ser comercializado apenas como um relançamento de seu álbum de estreia The Fame (2009), a cantora anunciou que as oito faixas seriam alinhadas em um lançamento independente, afirmando que pensava que a reedição era muito cara e que os discos eram conceitualmente diferentes, descrevendo-os como yin-yang, respectivamente. A edição super deluxe do trabalho que contém números de seu projeto de debute e mercadoria adicional, incluindo um cacho de sua peruca, foi distribuída em 15 de dezembro do mesmo ano.

Musicalmente, The Fame Monster é um álbum pop influenciado por diversos gêneros, proeminente o disco, glam rock e synthpop dos anos 1970 e 1980, assim como industrial e música gótica. O EP também foi inspirado por desfiles e passarelas. De acordo com a artista, o disco lida com o lado mais obscuro da fama, incluindo o amor, sexo, álcool e mais. Liricamente, os fatos são expressados através de uma metáfora “monstro”. As capas foram fotografadas por Hedi Slimane e possui um tema gótico, como descrito pela própria Gaga. Uma das imagens foi inicialmente reprovada por sua gravadora, no entanto, a cantora convenceu-os a ser utilizada como capa da obra. The Fame Monster recebeu revisões geralmente positivas da mídia especializada. Em algumas tabelas musicais, o trabalho constatou como The Fame, e liderou as paradas de vários países, incluindo Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Finlândia, Irlanda, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido e Suíça. Nos Estados Unidos, atingiu a quinta colocação da Billboard 200, e o topo do periódico genérico Dance/Electronic Albums.

Seu single inicial, “Bad Romance”, foi um sucesso comercial, liderando as tabelas de mais de vinte países, enquanto alcançava o segundo posto da Billboard Hot 100 dos Estados Unidos, e seu video-clipe se tornou o de maior visualização de todos os tempos na internet em Abril de 2010. As outras faixas de promoção “Telephone” e “Alejandro” também obtiveram êxito, alinhando-se entre as dez mais comercializadas de vários países. “Dance in the Dark” foi distribuída em alguns territórios, mas desempenhou-se moderadamente nos gráficos, e recebeu uma indicação no Grammy Awards de 2011 por Best Dance Recording. “Speechless”, “Monster” e “So Happy I Could Die” também listaram-se em diferentes compilações, apesar de não terem sido classificadas como singles. The Fame Monster ganhou diversos prêmios desde seu lançamento. Recebeu no total seis nomeações na 53ª edição dos Grammy Awards, ganhando a de Best Pop Vocal Album.

Editado por BillionDollarRS em Jun 11 2014, 6h29

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Você está vendo a versão 14. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.