Biografia

Jean Leloup (nascido em 14 de Maio de 1961 como Jean Leclerc), por vezes também conhecido por “John the Wolf - Jonh o Lobo”, no contexto anglofónico, é um cantor-compositor canadiano. A personalidade colorida e estilo musical único fez dele uma estrela na comunidade de rock francófona. É também uma importante parte da cena de transformação muiscal Quebequiana. Nascido Jean Leclerc em 14 de Maio de 1961 em Sainte-Foy, Quebec, cresceu no Togo e na Algéria onde sofreu influências dos ritmos africanos tradicionais.

Apareceu na cena musical do Quebec nos anos 80, agitando com as suas letras provocadoras - na sua canção “1990”, compara as acções de alta tecnologia na Tempestade do Deserto às suas actividades sexuais e da namorada. O seu álbum de 1990 O Amor é sem piedade foi um sucesso fora do Quebeque, distribuído na França, Holanda, Bélgica e Japão. O ponto de viragem da sua carreira é sem dúvida Le Dôme (“The Dome”) o qual editou após muitos anos em silêncio. Seguiu-se o mini-álbum Les Fourmis em 1998. O Vale das reputações (2002) foi também um grande êxito e era suposto ser interpretado como uma “conclusão” do seu carácter.

Leloup é um herói Quebequiano pela sua contribuição para a cena artística local e pelo desenvolvimento da cultura musical. É também o detentor de um prémio Félix (o equivalente a um Grammy).

Leloup “morreu” em 19 de Dezembro de 2003, em Saint-Jean-sur-le-Richelieu. De facto, ele não morreu realmente: Jean Leclerc retirou o seu nome teatral “Jean Leloup”, organizando um suicídio teatral. Esta foi outra amostra de actuação fantasiosa e elaborada, típica de um artista selvagem e excêntrico. Num “filme póstumo”, La Mygale Jaune, oficializa a morte do seu alter-ego ao queimar os mais importantes símbolos de Leloup: a sua guitarra e o seu chapéu.

Em Agosto de 2005, anunciou o seu regreso temporário à cena musical com a colaboração de uma banda chamada “Porn Flakes”. Um primeiro single com o título “Les Corneilles” tem sido ouvido nas estações de rádio de Montreal.

Nos meses que precederam o seu regresso, passou da sua guitarra para o seu lápis “fonte” e escreveu a novela filosófica Noir destin que le mien (Le Tour du monde en complet era o título original, publicado em 5 de Outubro de 2005, pelas Leméac Editions. O seu pseodónimo era Massoud Al-Rachid, o qual é também o nome do seu personagem principal na novela. Jean Leclerc disse em entrevistas que não voltará a usar o seu nickname.

Editado por luisacosta em Abr 10 2007, 18h53

Fontes

Jean Leloup (nascido em 14 de Maio de 1961 como Jean Leclerc), por vezes também conhecido por “John the Wolf - Jonh o Lobo”, no contexto anglofónico, é um cantor-compositor canadiano. A personalidade colorida e estilo musical único fez dele uma estrela na comunidade de rock francófona. É também uma importante parte da cena de transformação muiscal Quebequiana. Nascido Jean Leclerc em 14 de Maio de 1961 em Sainte-Foy, Quebec, cresceu no Togo e na Algéria onde sofreu influências dos ritmos africanos tradicionais.

Apareceu na cena musical do Quebec nos anos 80, agitando com as suas letras provocadoras - na sua canção “1990”, compara as acções de alta tecnologia na Tempestade do Deserto às suas actividades sexuais e da namorada. O seu álbum de 1990 <i>O Amor é sem piedade</i> foi um sucesso fora do Quebeque, distribuído na França, Holanda, Bélgica e Japão. O ponto de viragem da sua carreira é sem dúvida Le Dôme (“The Dome”) o qual editou após muitos anos em silêncio. Seguiu-se o mini-álbum Les Fourmis em 1998. O Vale das reputações (2002) foi também um grande êxito e era suposto ser interpretado como uma “conclusão” do seu carácter.

Leloup é um herói Quebequiano pela sua contribuição para a cena artística local e pelo desenvolvimento da cultura musical. É também o detentor de um prémio Félix (o equivalente a um Grammy).

Leloup “morreu” em 19 de Dezembro de 2003, em Saint-Jean-sur-le-Richelieu. De facto, ele não morreu realmente: Jean Leclerc retirou o seu nome teatral “Jean Leloup”, organizando um suicídio teatral. Esta foi outra amostra de actuação fantasiosa e elaborada, típica de um artista selvagem e excêntrico. Num “filme póstumo”, La Mygale Jaune, oficializa a morte do seu alter-ego ao queimar os mais importantes símbolos de Leloup: a sua guitarra e o seu chapéu.

Em Agosto de 2005, anunciou o seu regreso temporário à cena musical com a colaboração de uma banda chamada “Porn Flakes”. Um primeiro single com o título “Les Corneilles” tem sido ouvido nas estações de rádio de Montreal.

Nos meses que precederam o seu regresso, passou da sua guitarra para o seu lápis “fonte” e escreveu a novela filosófica Noir destin que le mien (Le Tour du monde en complet era o título original, publicado em 5 de Outubro de 2005, pelas Leméac Editions. O seu pseodónimo era Massoud Al-Rachid, o qual é também o nome do seu personagem principal na novela. Jean Leclerc disse em entrevistas que não voltará a usar o seu nickname.


Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 1. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.

Mais informações

De outras fontes.

Links
Gravadoras