Numa época em que as bandas que foram frutos da cena hardcore que agora tocavam um som mais diferenciado estavam sumindo as pessoas que curtiam esse som que entitularam de post-hardcore ficaram sem opções.

Mas para a alegria dos fãs brasileiros desse som nasce o ESAH, com um disco auto-entitulado cheio de um som novo enérgico e espiritual eles estrearam. contando ainda com várias parcerias incluindo Dance of Days e Point of no Return. Sobre o disco, ele tem seis faixas e mais dois remixes, e metade das seis músicas é instrumental. As outras três têm participações especiais - de novo - da intelligentsia do hardcore, ou coisa que o valha, paulista (a saber: vocalistas do Dead Fish, Garage Fuzz e Boom Boom Kid). Se assustou, cabe dizer que as músicas nas quais eles participam não soam como nada das respectivas bandas de origem.

O cd foi gravado no Estúdio El Rocha, o que equivale a dizer que não há jeito de ficar melhor (por sinal, pra quem se interessar em saber, o nome do encarregado da produção é Fernando Sanchez). A gravação limpa não tirou o peso da bateria, como dá pra ouvir em “Chotto Machigatte Iru”, mas talvez não fosse má idéia igualar o volume na percussão eletrônica do remix de “Sonâmbulo”.

Pra um álbum de estréia, é inacreditável. Em se tratando de algo nacional, mais impensável ainda. Depois de uma grande banda como essa apareceu do nada, todo mundo começa a ter outros olhos se tratando sobre a cena undeground brasileira.

Editado por Shedrink em Dez 3 2009, 14h37

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 4. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.