Nascida em Staten Island, Nova York, Estados Unidos, no dia 18 de Dezembro de 1980, Christina Aguilera é cantora, atriz, compositora e produtora musical mundialmente famosa por sua potente voz, talento e beleza natural, vencedora de 5 Grammy’s. Já vendeu mais de 50 milhões de álbuns, sendo uma das artistas de maior sucesso da ultima década de acordo com a Revista Billboard, e uma das maiores vocalistas femininas da música contemporânea. Está entre os 100 melhores artistas de todos os tempos segundo a revista Rolling Stone.

“Uma coisa que aprendi nesses anos, do pior modo, mas aprendi, e quero compartilhar com vocês, é confiar em seus instintos. Não importa o que as pessoas dizem sobre você, não importa as críticas negativas que apareçam no caminho de vocês, apenas serem quem vocês são, vocês mesmos, é o que importa.” Frase dita por Christina durante sua turnê (Stripped Tour Live In The UK), em 2003.

Biografia
Cresceu em Pittsburgh, nos subúrbios de Wexford, na Pensilvânia, apesar de ter nascido em Staten Island. Filha de Fausto Wagner Xavier Aguilera, um militar equatoriano, e Shelly Loraine Fidler, uma tradutora de espanhol e violinista, de ascendência irlandesa. Como o seu pai era militar, sua família sempre estava de mudança. Chegaram a morar no Texas, na Flórida, no Arizona e até mesmo no Japão. Tudo isso nos seus 6 primeiros anos de vida, portanto, sempre tinha problemas em se adaptar. Nesta mesma época, ganhou uma irmã, Rachel.

Quando completou 7 anos de idade, Shelly divorciou-se, mudou-se com as suas filhas para Pittsburgh, a fim de deixar os problemas conjugais para trás e reconstruir sua vida. Após alguns anos, Shelly se casou novamente, com o paramédico Jim Kearns e trocou de nome, de Shelly Aguilera para Shelly Kearns. Seu padrasto era viúvo e pai de dois filhos: Stephanie e Casey. Mais tarde, Shelly e Jim tiveram um filho, o quarto irmão de Christina, Robert Michael, apelidado de “Mikey”.

Sua avó, Delcie Fidler, foi a primeira a reconhecer seus talentos vocais. Desde que aprendeu a falar, dizia que queria ser cantora. Ela cresceu admirando artistas como Etta James, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Lena Horne, Barbra Streisand, Madonna, Marvin Gaye, Whitney Houston, Mariah Carey, Stevie Wonder e Aretha Franklin. Apresentou-se também em diversas festas e festivais de seu bairro, ganhando o apelido de “Menina do Vozeirão”.

Este rótulo se tornou um problema na vida da garota e, principalmente, nos demais concursos em que ela entraria. Quando os outros concorrentes sabiam que ela estaria participando simplesmente desistiam e os pais destas crianças não gostavam do que ocorria. Passou a ser perseguida e menosprezada. E a proporção dos ataques à pequena notável foram aumentando, chegando a atos de vandalismo em sua casa, depredações e até mesmo atentados ao carro da família.

Com apenas nove anos, já era a cantora oficial do hino nacional dos Estados Unidos, “The Star-Spangled Banner”. Era a cantora oficial da equipe de futebol americano dos Pittsburgh Steelers e da equipe de hóquei Pittsburgh Penguins.

1990-1998: Rumo Ao Estrelato
Em 15 de Março de 1990, se apresentou no famoso programa americano Star Search, cantando A Sunday Kind Of Love de Ella Fitzgerald. Apesar de não ganhar o programa, adquiriu confiança e sentiu pela primeira vez o gosto da fama. Ao retornar para casa, foi convidada para o TV’s Wake Up, programa de Larry Richert, para apresentar a mesma canção. Com o sucesso de sua apresentação, foi convidada novamente. Desta vez, cantou “Vision Of Love”, o primeiro single de Mariah Carey, causando espanto por alcançar todas as notas, incluindo o famoso agudo, marca registrada de Mariah.

Com 11 anos, fez um teste para o elenco infantil da Disney e passou, porém não entrou no programa desejado devido a sua idade. Um ano depois conseguiu o que queria. Em 1993, entrou no famoso programa The Mickey Mouse Club. O elenco era composto por Britney Spears, Justin Timberlake, JC Chasez (ambos futuros integrantes do *NSYNC), Rhona Bennet, Ryan Gosling e Keri Russell (futura protagonista do famoso seriado Felicity), além da própria que ganhou o posto de diva do programa depois de apresentar “I Have Nothing”, clássico de Whitney Houston.

Infelizmente, em 1994, o programa acabou. Passou a gravar fitas demo e enviar para gravadoras. Através de pequenos contratos, começou a viajar pelo mundo mostrando suas habilidades musicais e chegou a gravar um dueto com o Pop star japonês Keizo Nakanishi, chamado “All I Wanna Do”. Participou do clipe e saiu em turnê pelo Japão acompanhada pelo cantor. No mesmo, quase causou um incidente durante o Golden Stag Festival, na Transilvânia, ao descer do palco e cantar duas músicas no meio da platéia de aproximadamente 10.000 pessoas.

Em 1998, os estúdios Walt Disney estavam a procura de uma nova voz feminina para a canção tema do filme Mulan e os produtores ouviram uma fita antiga que Christina lhes tinha enviado, onde ela cantava “Run To You”, de Whitney Houston. Ela cantou a nota alta “E” em voz completa (E5). Foi contratada e em menos de 48 horas estava em estúdio, porém a música ainda tinha uma surpresa: precisaria cantar 1 escala acima do seu tom natural para gravar “Reflection”. Ao fazê-lo sem dificuldade, entrou para a trilha sonora do filme.

“Reflection” não fez tanto sucesso como esperado, mas entrou para o Top 20 Adulto da Billboard e concorreu ao Globo de Ouro de 1998 na categoria “Melhor Canção Original”.

1999-2001: Sucesso Conquistado
Depois de grande notoriedade, assinou contrato com a RCA Records, em Los Angeles. Imediatamente se pos a gravar seu primeiro álbum, intitulado com seu nome, que foi um enorme sucesso. Christina Aguilera, lançado em 1999, foi muito bem recebido e alcançou o #1 na Billboard, vendendo mais de 16 milhões de cópias em todo o mundo. Tendo lançado apenas “Genie In A Bottle”, seu 1º single, ganhou seu primeiro Grammy, por “Artista Revelação”, batendo nomes como Macy Gray e Britney Spears e foi nomeada por Melhor Performance Vocal Pop. O álbum teve ainda mais 3 singles, “What a Girl Wants”, “I Turn To You” e “Come on Over Baby”. Com apenas 4 singles lançados, obteve 3 #1’s na mais importante parada musical americana, a Billboard.

Em 2000, mostrou suas raízes latinas. Ainda trabalhando na divulgação do último single de seu primeiro álbum, Come On Over Baby, lançou seu primeiro álbum totalmente em espanhol, voltado para o mercado latino. Mi Reflejo contava com regravações de seus primeiros singles e também músicas inéditas. O álbum novamente alcançou o #1, desta vez no seu segmento, a Billboard Latina e ainda conseguiu a façanha de entrar para o Top 30 da Billboard oficial. Em 2000, Mi Reflejo lhe rendeu o Grammy Latino, por Melhor Álbum Pop e o single “Ven Conmigo” tornou-se febre no mundo latino.

Ainda em 2000, lançou outro trabalho especial: um álbum natalino. Intitulado de “My Kind Of Christmas”, o álbum teve um único single promocional, “The Christmas Song”. O álbum fez um enorme sucesso e rendeu um especial de TV à cantora. Fez um show natalino para o canal ABC.

No início de 2001, Ricky Martin a convidou para gravar “Nobody Wants To Be Lonely”, para seu álbum Sound Loaded. Em maio do mesmo ano, juntamente com P!nk, Mya, Lil’ Kim e Missy Eliott, interpretou a canção mais famosa e bem-sucedida de 2001, conforme divulgou o especial retrospectivo do canal E! Enterneinement Television, sobre o ano de 2001. Para a trilha sonora do filme Moulin Rouge, o quarteto regravou um clássico dos anos 70: “Lady Marmalade”. A canção ocupou o posto número 1 em mais de 50 países, incluindo 5 semanas na primeira posição na parada musical dos EUA, Billboard Hot 100. Recebeu, também, certificação de disco de ouro, platina e platina duplo ao redor do mundo.

Lady Marmalade rendeu à ela seu terceiro Grammy, desta vez por Melhor Colaboração Pop com Vocais. O videoclipe também foi o vencedor da categoria Vídeo do Ano, no MTV Video Music Awards de 2001.

Em 2001, foi lançado contra sua vontade o album “Just Be Free”, que contém gravações demos de quando ela tinha 14 anos e não era contratada pela RCA Records. O album não-oficial foi lançado devido ao sucesso com seu 1º album, porém, “Just Be Free” vendeu aproximadamente 1 milhão de cópias.

2002-2003: Afirmação Profissional e Polêmicas
Em 2002, após 3 anos de trabalho, lança seu album polêmico, Stripped — completamente diferente de seu primeiro álbum. Menos pop, e com influências variadas, que vão do jazz ao hip-hop, passando pelo gospel, soul e R&B.

No início, entretanto, o álbum não foi tão bem recebido quanto o anterior pela crítica especializada. E, para muitos, a íncrivel habilidade vocal da diva foi ofuscada pela imagem sexy e provocante que ela começou a cultivar com o single de estréia, “Dirrty”. Essa imagem mais pervertida rendeu reações das mais diversas. Mesmo assim, o video de “Dirrty” se tornou um dos sucessos do ano na MTV norte-americana e teve um resultado além do esperado na venda de singles.

Seu segundo single, Beautiful, alcançou o #1 na Austrália, Reino Unido, Nova Zelândia, entre outros países, embora só tenha chegado até a #2 nos Estados Unidos.

Stripped ainda teve mais três singles lançados no ano seguinte: Fighter, Can’t Hold Us Down, e The Voice Within. O álbum vendeu no total cerca de 12 milhões de cópias. Foi nessa fase que ela se autodenominou X-tina, tanto que tatuou na nuca e colocou vários piercings pelo corpo.

Em 2003, participou de uma das maiores polêmicas da história da MTV nos Estados Unidos. Durante a abertura do apresentação no MTV Video Music Awards, realizou um dueto com Britney Spears, cantando a clássica Like A Virgin. Ao final da performance, as duas trocaram beijos com a rainha do pop, Madonna. Missy Elliot fez uma participação especial ao lado das três. Naquela mesma noite, surpreendeu a todos apresentando-se novamente. Dessa vez, a cantora cantou suas próprias músicas: o hit Dirrty, que lhe rendeu indicação ao Grammy, e Fighter, acompanhada pelo famoso guitarrista Dave Navarro.

Em meio a tanto sucesso, foi convidada a apresentar o Europe Music Awards 2003, a maior premiação da MTV européia, e se tornou a anfitriã do evento, onde também ganhou na categoria de Melhor Cantora Feminina. Literalmente um sucesso.

Com o mundo a seus pés, foi intitulada a Melhor Artista Pop de 2003, pela Billboard e Artista do Ano, pela Rolling Stone. Além de sua turnê, Stripped Tour, ter sido eleita a melhor do ano.

2003 - Tour Stripped
Pela primeira vez, Xtina sai em tour pelo Mundo, cantando os seus sucessos, usando roupas extravagantes, e com um show repleto de efeitos. Xtina passa várias mensagens para seus fans, e canta com alegria. O show inicia com Dirrty, com uma apresentação dançante, e encerra com Beautiful, o single reconhecido por todo o Mundo, por ter uma letra tocante, e um clipe inspirador. A apresentação, então, é muito emocionante, que leva a plateia ao delírio e, ainda canta Come on Over, em uma versão mais acustica, e What A Girl Wants e Genie In A Bottle, em uma versão mais rock.

2004-2005: Amadurecimento Pessoal e Novos Rumos na Carreira
Em 2004, assumiu uma postura mais madura, deixando a ousada imagem que construiu com Dirrty de lado e chegou a participar de importantes movimentos políticos e campanhas sociais. Com um visual cada vez mais glamouroso e sofisticado, esbanjando elegância por onde quer que fosse. Essa nova imagem lhe rendeu um contrato milionário com a Mercedes-Benz, tornando-se o novo rosto da empresa.

Um pouco antes das eleições americanas, estrelou a campanha política Declaire Yourself. Nesses anúncios, a cantora aparecia com a boca costurada, expressando as conseqüências de abrir mão de votar (lembrando que nos EUA o voto é facultativo). Participou de diversos debates e foi convidada ao The Oprah Winfrey Show para discutir a importância do voto e suas conseqüências.

No verão de 2004, estava em 2 singles. O primeiro: Car Wash”, uma regravação de Rose Royce, para a trilha sonora da animação da Disney, O Espanta Tubarões. Missy Elliot também participou. O segundo single também foi uma participação. Desta vez com o rapper Nelly, para seu álbum Sweat, single intitulado “Tilt Ya Head Back”.

Em Novembro de 2004, lançou seu segundo DVD ao vivo. Apresentando o show de Stripped Tour. Stripped Live In The U.K., como foi intitulado o DVD, foi gravado na Wembley Arena, em Londres, Inglaterra.

Mesmo em 2004, ainda colhia os frutos de Stripped, que ainda se encontrava no Top 200 Álbuns, da Billboard. Além disso, recebeu 5 indicações ao Grammy, incluindo o de Melhor Álbum Pop e Canção do Ano, por Beautiful. Venceu novamente, desta vez na categoria Melhor Performance POP Feminina, por Beautiful.

Em Fevereiro de 2005, anunciou seu noivado com o o executivo fonográfico, Jordan Bratman, com quem mantinha relacionamento desde 2002. Após 3 anos então, em novembro de 2005, casou-se com Jordan.

Colaborou com o pianista de Jazz, Herbie Hancock, em seu álbum Possibilities. A canção “A Song For You”, uma regravação de um clássico de Leon Russel. Retomou o clima do Mickey Mouse Club ao ser convidada especial da comemoração do 50º aniversário da Disneylândia, interpretando a canção When You Wish Upon A Star. E colaborou, também, com Andrea Bocelli, na canção “Somos Novios (It’s Impossible)”, para o álbum Amore, do cantor italiano.

Em 2006, com sua versão de A Song For You, juntamente com Hancock, mais uma vez recebeu uma nomeação ao Grammy. A canção lhe rendeu uma apresentação na 48ª edição do da cerimônia. Por sua colaboração em Somos Novios, foi convidada de honra do renomado Festival de San Remo, apresentando-se ao lado de Bocelli.

2006–2007: De Volta Às Origens
Paris, 2006. Fortemente infuenciada pelo jazz e o soul das décadas de 20, 30 e 40, trabalhou em seu quinto álbum, Back To Basics, lançado em 15 de agosto, obtendo o #1 em mais de 15 países, incluindo EUA, Inglaterra e Austrália.O primeiro single, Ain’t No Other Man teve um bom exito, alcançando #3 no Brasil e #2 no Reino Unido, além da #6 posição nos EUA e #1 em Portugal. Hurt, segundo single do álbum, alcançou Top 20 nos EUA, #1 na Suécia e #2 na Alemanha. Nesse álbum, abandonou o alter-ego Xtina, e adotou o alter-ego Baby Jane.

Além da divulgação de seu próprio álbum, colaborou com o rapper Diddy, em seu álbum Press Play, na canção Tell Me - que apesar de ser o 1º single do álbum, não teve muita repercussão nas paradas mundiais. Anunciou sua nova turnê, intitulado Back To Basics Tour, com 18 apresentações européias entre 17 de Novembro e 17 de Dezembro; e 41 apresentações na América do Norte entre 20 de Fevereiro e 5 de Maio. Também foi citada na lista das mulheres mais ricas do entretenimento da Forbes, com um patrimônio estipulado em 60 milhões de dólares.

Candyman, canção lançada como terceiro single de Back To Basics alcançou #2 na Australia, mostra uma forte influência do pop das décadas de 40 e 50, com sonoridade Big Band. Durante a cerimônia do 49ª Annual Grammy Awards em 2007, Aguilera ganhou o prêmio de Melhor Performance Pop Feminina, por “Ain’t No Other Man”. Fez uma aclamada apresentação durante a premiação: um tributo a James Brown, cantando “It’s a Man’s World”.

Slow Down Babyfoi o quarto single do album, divulgado somente na Ásia e Oceania, atingindo #21 na Austrália, porém, o single não teve video clipe. No dia 8 de Novembro de 2007 foi lançado o clipe ao vivo oficial do single Oh Mother, quinto do álbum, para apenas alguns países da Europa. A apresentação do clipe foi retirada de cenas do DVD Back To Basics Live And Down Under que foi lançado em Fevereiro de 2008.

2007 - Tour Back To Basics
Baby Jane iniciou sua tour, passando por vários países da Europa, EUA e Asia, e lançou o DVD da Tour em 2008, intitulado “Live and Down Under”.

Christina fez um magnífico show, desde dançarinos com vestidos da época, até um show com influências de circo e ainda cantou antigos singles, onde fez novos instrumentais, onde deu um ar mais “antigo” as músicas. Como por exemplo, What a Girl Wants, que ela canta com uma batida mais Jazz e dançante. A mesma coisa com Come on over.

Em certa parte da tour, Xtina fica grávida de seu primeiro filho, Max. E que por recomendações médicas, passou a emitir menos highs notes (e chegou a usar playback em algumas notas mais altas), e teve alguns shows cancelados. Os shows começavam com Ain’t No Other Man, e era encerrado com Fighter.

2008: Keeps Gettin’ Better - A Decade Of Hits
Contém os grandes êxitos da cantora desde 1998, foi lançado dia 11 de Novembro de 2008 e estreou em #9 na Billboard 200. Contem também o single, Keeps Gettin’ Better, atingiu #7 na Billboard Hot 100 e #4 no Canadá. O álbum teve duas músicas novas e dois de seus sucessos em versões regravadas, “Genie 2.0 (Regravação de Genie in a Bottle)” e “(You Are what You Are (Regravação de Beautiful).” O álbum já vendeu mais de 1 milhão de cópias em todo o mundo.

Nessa época, já começaram as expeculações do próximo album, e no final de 2009, para começo de 2010, disse que já tinha gravado o seu próximo álbum e que este será um álbum virado para o futuro, com inspirações em sons e tipos de música alternativos e futuristas como por exemplo o Electro, o qual se pode confirmar nas colaborações divulgadas. Sempre disse que queria inovar ao fazer música, com Back to Basics ela levou-nos ao passado, e com “Bionic” quer fazer exatamente o contrário. Os produtores confirmados para esse quarto álbum são Linda Perry, DJ Premier, Mark Ronson e as bandas britânicas Goldfrapp e Ladytron. O produtor Christopher “Tricky” Stewart também está em colabroração para o novo álbum. Ele ficou conhecido por produzir sucessos como por exemplo Single Ladies da cantora Beyoncé. A cantora e compositora australiana Sia Furler também está em colaboração para o álbum. O lançamento do álbum está previsto para Junho de 2010. O nome do novo álbum será “Bionic” segundo declarações dadas pela artista, à revista internacional “Marie Claire”.

2010: Bionic
Bionic foi lançado em julho de 2010, após uma longa espera pelos fans de todo o Mundo. A versão normal contém 18 faixas, e a versão deluxe contém 23, e a “versão” Itunes contém 24 faixas, com Little Dreamer como bonus. Retomou seu antigo alter-ego, Xtina. Porém, muitas pessoas dizem que seu alter-ego nessa era é Madam X.

Essa era foi lançada em meio a varias polêmicas geradas pela mídia, entre Christina e Lady Gaga, de uma estar imitando o visual da outra, porém, ambas se manifestaram sobre isso, dizendo que nenhuma das duas “se odeiam”, e não ligam para o que a mídia dizem das duas.

O primeiro single do CD, Not Myself Tonight, traz um clipe polêmico, onde ela aparece amordaçada, com roupas de latex, super-coladas. Apesar da música ter feito sucesso nas paradas mundiais, o clipe não foi bem recebido, recebendo altas críticas.

Christina explica que Not Myself Tonight surgiu com as gravações de seu primeiro filme, Burlesque. Diz ela que ela teria que ser alguém que ela não era. Uma pessoa diferente, mesmo que seja encenação. Então, assim, surgiu o seu primeiro single.

O segundo single do CD se chama You Lost Me, trazendo um clipe simples, porém cheio de mensagens. You Lost Me é uma música lenta, calma, porém, com excelentes vocais. Christina escreveu You Lost Me com a cantora e compositora Sia. E que além de You Lost Me, contamos com I Am e All I Need, composições de Sia com Christina juntas. Xtina diz que essas músicas são o coração do album, sendo a parte sincera dele.

Em Bionic, encontramos músicas de todos os tipos. Desde uma música mais robótica (Bionic), a uma música mais misteriosa (I Am). Desde uma música dançante estilo anos 80 (Elastic Love), a uma música mais latina (Desnudate). E a maioria em um estilo meio “futurístico”.

A Era Bionic conta com uma apresentação excepcional, feita no MTV Movie Awards, onde Christina aparece com um visual exótico, sentada em um trono, e começa a cantar sua música, Bionic. Após isso, ela desce do trono, e faz movimentos simulados a armas de luz. Após, ela começa a cantar seu primeiro single, Not Myself Tonight, e encerra a apresentação com Woohoo. Contamos também com apresentações na Oprah, Regis and Kelly, Today Show, VH1, etc.

O CD, então, finalmente, foi lançado. Porém, não alcançou os valores e rankings desejados nas paradas, e apesar do album ter recebido boas críticas, ainda assim, não fez tanto “barulho”.

Tour Bionic
Marcada para o começo de 2011, porém, ainda não tem datas, nem locais marcados, mas Christina promete que essa tour será cheia de efeitos, e diz estar ansiosa para começa-la. Ainda acrescentou que usará muitas roupas latex.

Burlesque
Estrela nas telas do cinema como atriz principal, um filme dirigido e escrito por Steve Antin, irmão da criadora do grupo The Pussycat Dolls, Robin Antin. O título do filme será “Burlesque” terá por base o genero músical, que além de Christina, terá Cher. O filme conta a história de Aly (Christina), uma menina do interior que decide ir atrás de seus sonhos através da música, e acaba em um Clube Burlesco dirigido pela Tess (Cher). A longa-metragem irá estrear nos cinemas em Novembro de 2010, e já acumula popularidade nos Estados Unidos, sendo um dos filmes mais esperados do ano.

A Voz
É considerada por muitos A Maior Voz Dessa Geração, na infância chamada de A pequena garota com um Vozeirão e eleita por muitos meios de comunicação como a maior vocalista de todos os tempos guardada em um corpo de apenas 1,56m de altura. Sua classificação atual era de Dramatic Spinto Soprano, pois ela tinha um timbre profundo que era capaz de atingir notas muito agudas em Whistle Register.

Estúdio
Nota mais grave: C#3 (Walk Away), D3 (Soar).
Nota mais aguda em voz de peito: F#5 (Beautiful, Makes Me Wanna Pray, This Year), G5 (Keep On Singing My Song, Lady Marmalade, Slow Down Baby) G#5 (Christmas Time).
Nota mais aguda em falsete: Eb6 (Have Yourself a Merry Little Christmas).
Nota mais aguda em whistle register: C7 (All I Wanna Do), C#7 (The Christmas Song).
C#3-C#7 (4 oitavas)

Ao Vivo
Nota mais grave: C3 (At Last - My Reflection DVD)
Nota mais aguda em voz de peito: F#5 (Lady Marmalade - MTV Awards), G5 (Lady Marmalade - Montreal B2B Tour) G#5 (Lady Marmalade - 44th Annual Grammy Awards)
Nota mais aguda em falsete: E6 (Man’s World 49th Annual Grammy Awards)
Nota mais aguda em Whistle Register: A6 (Live With Me - Rolling Stones, Por Siempre Tú/I Turn To You Live In América do Sul).
C3-A6 (3,5 oitavas)

Discografia
(1999) Christina Aguilera - mais de 16.000.000 de cópias vendidas.
(2000) Mi Reflejo - mais de 4.000.000 de cópias vendidas.
(2000) My Kind Of Christmas - mais de 3,000.000 de cópias.
(2002) Stripped - mais de 12.000.000 de cópias.
(2006) Back To Basics - mais de 5.000.000 de cópias.
(2008) Keeps Gettin’ Better: A Decade Of Hits - mais de 1.000.000 de cópias.
(2010) Bionic

Editado por Ziomek2000 em Jul 20 2011, 18h50

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 157. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.

Esta wiki foi bloqueada por um moderador.