Biografia

BARBARA MENDES
Chegou para o publico brasileiro e não assuste ao ouvi-la, pois é sucesso garantido.
Ela cresceu na capital nacional da Bossa Nova e da MPB: Rio de Janeiro e assim começa a história de uma “Diva” da MPB.

Barbara Mendes traz dentro de si o desassossego:

Em 1996, depois de se formar em Direito, MUDA-SE PARA NOVA YORK, para estudar canto e performance na New School for Social Research - West Village.
Começa a estudar técnica vocal para canto Gospel com a professora Ellayssandra London. Com ela aprende, mais que tudo, a “expressão e a alma do canto”. Aprimora-se também com a “vocal coach” Pat Holley, professora de grandes nomes do Jazz e dos shows da Broadway.
Barbara Mendes percebe que está na hora de pegar estrada.

Em 1997, se junta à banda Brazooca, formada por músicos em NYcity e começa a cantar no Café Wha no Village, que já tinha sido palco para Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Bob Dylan.
No mesmo ano, participa do Tributo a “Elis Regina, ao lado de Nana Caymmi, Bebel Gilberto, Luizão Maia e Paulo Braga, no Town Hall em NYC.
Em 1998, foi a única cantora brasileira convidada a participar do Festival de Jazz Ocean Blue no Japãp, ao lado de Herbie Hancock, Wayne Shorter, Tito Puente, Milt Jackson.
Em NY, faz shows em Clubs de Jazz, tais como: Zinc Bar, Sob’s, Cleopatra’s Needle além de engrenar no mundo do estúdio em gravações com diferentes artistas, trilhas sonoras para filmes, sempre levando a bandeira da música brasileira como seu diferencial.
Em 1999, é convidada pelo arranjador e produtor Eumir Deodato para ser a voz do tema de abertura do Filme “Bossa Nova”, Dirigido por Bruno Barreto, cantando, num dueto com Deodato ao piano, Inútil Paisagem de Tom Jobim e Aloysio de Oliveira, além de Samba de Uma Nota Só e Amor em Paz. O CD da trilha sonora do filme “Bossa Nova” é lançado pela Verve em 2000.
Em 1999, em São Paulo, é finalista do 2º Prêmio Visa, realizado pela Rádio Eldorado, e recebe entusiasmados elogios da mídia:

“Barbara Mendes não fez uma apresentação, deu um show, aplaudido como tal. Sua voz fora de série, a segurança, a graça, o repertório adequado ao estilo de cantar, a capacidade de conquistar imediatamente o público.” (Mauro Dias-Estado de São Paulo)
“Barbara Mendes emocionou o público com sua voz forte, versátil e harmoniosa, sendo aplaudida de pé e ovacionada durante e depois de sua apresentação.” (Marcos Filipi - Jornal da Tarde).

Em 2000, faz sua primeira turnê na Grécia, cantando no Half Note Jazz Club (Atenas) e no Mylos Club (Tessaloniki) , onde grava o CD “Live in Greece”, com lançamento independente.
No mesmo ano, participa da trilha do Filme indiano “SNIP”, com lançamento do CD na Índia, pela Universal Music e faz um grande concerto para a produtora de cinema “Merchant & Ivory”, ao lado do tablista indiano Zakir Hussein.

Ainda em 2000, indicada por Eumir Deodato, junta-se ao grande DJ e produtor de Dance/House Music François Kevorkian (François K.), do selo Wave Music, renomado DJ, que já trabalhou com nomes como U2, Glória Stephan, KraftWork, B52’s, Diana Ross e grava o remix para a música “Me Vacances a Rio”, da banda francesa Rhinocerose.
Em 2001, novamente com François e Terry Burrus compôe o single “Awakening” com arranjo de cordas de Deodato, lançado na Europa, Japão e EUA.
Com o sucesso do single, Barbara e François saem em turnê pela Europa, EUA e Canadá durante 2001 e 2002.

Em 2002, vem ao Brasil e participa do Free Jazz no Rio de Janeiro, no palco Village, convidada pelo Barão Vermelho - Guto Goffi - e em SP sobe ao palco do festival Skol Beats, ao lado de François K.

Em 2003, Barbara continua sua investida no univerdo de Dance/House Music, sempre com seu tempero brasileiro, desta vez com o single “Got to Be in Love”, produzido por François K. e Eric Kupper. O Single é lançado nos EUA, Europa e Japão e mais uma vez ela vai pra estrada, com grande repercussão nas pistas de dança do mundo.

A partir de 2005 passa a vir com cada vez mais freqüência ao Brasil, já começando a planejar sua volta.
Canta no Rio de Janeiro no Rio Scenarium, casa de abriga os grandes nomes do samba carioca, com a banda Pagode Jazz Sardinha’s Club, homenageando os grandes compositores de samba da MPB.
Embarca com eles para o “Festival de Sanary” no Sul da França, onde participaram também Milton Nascimento, Lenine e Daniela Mercury.

O Primeiro Disco Autoral
Em parceria com o arranjador e pianista francês Alain Mallet, ainda em NY, começa a trabalhar no seu primeiro disco autoral, gravando quase todas as faixas no Rio de janeiro com a participação de grandes músicos como: Marcos Suzano, Lula Galvão, João Vianna, A Parede, Bernardo Bosísio, Eduardo Neves, Paulo Braga, Rodrigo Lessa, Walter Vilaça e etc.
O disco chama-se ” BARBARA MENDES” e tem lançamento independente na Europa, não chegando ao Brasil.

Em 2005, apresenta-se nos EUA, Moscou no Jazz Club “Le Club” e também em Lisboa e Coimbra em Portugal, para divulgar seu disco.

No mesmo ano grava a música “Praia de Genipabu, para o Filme “BE COOL” com titulo no Brasil “O Outro Nome do Jogo “ com participação de John Travolta, Uma Thurman, Vince Vaughn, Danny DeVito e etc.
Convidada pelo diretor do departamento de música erudita da renomada escola americana JULLIARD, Edward Billous, grava a trilha para o balé Pilobolus e se apresenta com eles em NYC.

A Volta do Brasil
Com grandes passos dados lá fora, ainda faltava o Brasil.
Em 2006 desembarca no Rio para desenvolver por aqui a sua carreira.
Mesmo ouvindo as críticas ao momento da indústria fonográfica brasileira, o coração e a vontade falam mais alto e ela se prepara para mais essa empreitada.
“Antes da mudança para os EUA, ouvia dizer que a distância do Brasil me traria duas opções: ou me apaixonar de vez pela música brasileira ou me misturar demais a outras culturas musicais, podendo, assim, perder as referências. Barbara ficou com a primeira opção.”

Barbara Mendes faz shows em vários espaços cariocas como Mistura Fina, Estrela da Lapa, Centro Cultural Carioca, Sala Baden Powel entre outros, refazendo os laços com o público carioca, músicos e parceiros.

Em 2006 e 2008 Barbara Mendes retorna a Grécia, com shows lotados em Atenas, Volos e Larissa, Creta e Tessaloniki.


Nada Pra Depois
Em 2008, Barbara grava seu segundo disco autoral. Com seu parceiro Mauricio Oliveira, ela compõe quase todas as canções do disco Nada pra Depois, que defiinitavemente a lança no cenário brasileiro. O disco sai pela Trilhos Artes, selo de Flávio Venturini, com distribuição Som Livre.
O Cd tem participações especialíssimas de Djavan que grava a música que dá nome ao disco – Nada pra Depois, de Barbara Mendes e Mauricio Oliveira, em um dueto lindíssimo com ela.
Ivan Lins cede uma obra original, E isso Acontece, e ainda empresta sua voz em outro dueto com Barbara.
Hamilton de Holanda, um dos grandes nomes da música instrumental mundial, também é participação especialíssima na faixa “Ardendo em Cores”.

O disco foi produzido por dois grandes músicos e produtores Mauricio Oliveira e André Vasconcellos.

O Lançamento
2009 começa com Barbara Mendes fazendo o show de lançamento de Nada pra Depois no renomado Teatro Rival no Rio de Janeiro, com a linda participação de Leila Pinheiro.
E isto é só o começo… aguardem mais novidades.

Editado por Voigt2009 em Abr 17 2009, 17h12

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 1. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.

Mais informações

De outras fontes.

Links
Gravadoras