Biografia

A banda inglesa Angel Witch, uma das maiores revelações da New Wave Of British Heavy Metal, surgiu por intermédio do guitarrista e vocalista Kevin Heybourne. Em meados de 1977, após ter passado por um grupo de pouca expressão, Kevin estava firme no Lucifer, tocando ao lado de Rob Downing (guitarra), Kevin “Skids” Riddles (baixo e teclado) e Dave Hogg (bateria). Entretanto, o quarteto acabou descobrindo uma banda com o mesmo nome e resolvem mudar para algo mais expressivo e obscuro, Angel Witch.

Não apenas o nome sofreu uma alteração, já que em 1978 ocorre a saída do guitarrista Rob Downing. Com o line-up estabilizado, o trio começa a finalizar as composições próprias e as testam ao vivo em maio e junho de 1979, durante uma série de shows realizados na Inglaterra, em locais como Camden Brecknock, Catford Saxon Tavern, Orpington Technical College, London Crackers, Nottingham Dutch House e o famoso Ruskin Arms, casa que também abrigou os primeiros shows do Iron Maiden.

Mesmo em meio ao grande ‘boom’ na cena inglesa com a New Wave Of British Heavy Metal, o Angel Witch conseguia se destacar, o que não era tarefa das mais fáceis, já que atuava lado-a-lado a bandas que também estavam lutando por reconhecimento, como o Samson, Marseille, Witchfynde, Xero, Straight Eight, Quartz, Urchin, E.F. Band, Sledgehammer, Minotaur, Iron Maiden, Saxon, Tygers Of Pan Tang, entre muitos outros contemporâneos.

As apresentações seguiram até o final de 1979, em shows em Londres no Music Machine e no London Lyceum, mas as coisas começaram a melhorar ainda mais para o Angel Witch após participar do “Friday Rock Show” organizado pela BBC, já que o alto desempenho levou o grupo a ter a faixa Baphomet incluída na coletânea Metal For Muthas (EMI), que ainda contava com nomes como Iron Maiden, Sledgehammer, E.F.Band, Toad The Wet Sprocket, Praying Mantis, Ethel The Frog, Samson e Nutz.

Desta forma, a gravadora EMI resolve apostar suas fichas no trio, que lança na seqüência o compacto Sweet Danger, com a faixa-título e Flight Nineteen e, posteriormente, o single 12” de mesmo nome, acrescido da faixa Hades Paradise. Para promover o material, a banda sai em turnê pela Inglaterra entre abril e maio, tocando em casas como o Ruskin Arms, Dunstable Queensway Hall, Ashford Stour Centre, Birmingham Odeon, West Runton Pavilion, Tonbridge Wells Hammersmith Odeon, Newcastle City Hall, Brentwood Hermit Club e Stafford Bingley Hall, entre outras.

Entretanto, mesmo com a boa receptividade nos shows, o single obtém somente a 75ª colocação nos charts e com isso a EMI resolve romper o contrato com a banda, assinando com o Iron Maiden. Só que o Angel Witch não se abateu e seguiu trabalhando da mesma forma, obtendo destaque no “Heavy Metal Mayhem Barn Dance”, em Stafford, fato que rendeu um contrato com a gravadora Bronze Records, responsável pelos lançamentos do Uriah Heep e Motörhead. Meses depois, sai outro compacto, Angel Witch/Gorgon.

O lançamento do álbum de estréia, Angel Witch, ocorreu em novembro de 1980. Produzido por Martin Smith e tendo como engenheiros de som Mark “The Knife” Deanley, Ashley Howe e John Gallen, o disco trouxe as faixas Angel Witch, Atlantis, White Witch, Confused, Sorcerers, Gorgon, Sweet Danger, Free Man, Angel Of Death e Devil’s Tower, todas assinadas por Kevin Heybourne. Rapidamente as músicas caíram no gosto dos fãs, notadamente pela aura obscura e sombria, em temas místicos e que falavam o oculto e de bruxaria.
Merecidamente Angel Witch foi considerado anos depois como um clássico absoluto da NWOBHM e uma das maiores estréias da história do Metal.

Mesmo com a boa fase e os shows realizados até meados de 1981, o baterista Dave Hogg decide sair, sendo substituído pelo já experiente Dave Dufort, que vinha da E.F. Band e era irmão da baterista da Girlschool, Denise Dufort. Ainda neste período, após mais shows ao lado do Tank e outros grupos da cena, é lançado o compacto Loser (Bronze, 1981), com as faixas Suffer, Dr. Phibes e Loser.

Quando se esperava por um sucessor de Angel Witch, acontece o inesperado com o trio anunciando o encerramento de suas atividades de forma precoce. Kevin “Skids” Riddles e Dave Dufort criam o Tytan e Kevin Heybourne acaba se juntando ao Deep Machine.

Surpreendentemente, ainda em 1981, Kevin anuncia o retorno, mas com uma formação completamente diferente, que contava ainda com Roger Marsden (vocal, E.F. Band), Jelly Cunningham (baixo) e Ricky Bruce (bateria). Só que este line-up dura pouco, com Kevin reassumindo o vocal e o Angel Witch novamente voltando a ser um trio. Mesmo assim, as coisas não saem como planejado e o trio sai de cena em 1983, com Kevin Heybourne indo para o Blind Fury como guitarrista, fazendo sua estréia ao lado de Lou Taylor (vocal), Steve Coleman (bateria) e Peter Gordelier (baixo), no dia 21 de maio de 1983, no Catford Saxon Tavern.

Esta formação não dura pouco e o Blind Fury só veio a estrear em 1985, contando com Lou Taylor, os guitarristas Steve Ramsey (Skyclad, Pariah, Satan) e Russ Tippins guitars (Pariah, Satan), o baixista Graeme English (Skyclad, Pariah, Satan) e o baterista Sean Taylor (Blitzkrieg, Pariah, Satan).

Kevin Heybourne e Pete Gordelier, por sua vez, recrutam Dave Tattum (vocal) e chamam de volta Dave Hogg (bateria) para uma nova encarnação do Angel Witch. O resultado veio com o álbum Screamin’ N’ Bleedin’, que foi gravado em abril de 1985 no AVM Studios e contou com a produção de Les Hunt.

Apesar da expectativa, faixas como Whose To Blame, Child Of The Night, Evil Games e Waltz The Night, não conseguem superar a época do ‘debut’ e aí ocorre a saída de Dave Hogg, substituído por Spencer Hollman. Com mais uma nova formação sai Frontal Assault (Killerwatt, 1986), gravado em janeiro de 1986 e novamente produzido por Les Hunt. O álbum não dá em nada e Dave Tattum resolve sair.

A banda só volta a ser falada em 1990, quando saiu o ao vivo Live, que trazia oito faixas do ‘debut’ e foi gravado no Troubadour de Los Angels/CA (EUA) por Kevin Heybourne (vocal e guitarra), atuando desta vez ao lado Grant “Taco Bell” Dennison (guitarra), Pete Gordelier (baixo) e Spencer Holman (bateria).

Mas, após a turnê norte-americana que resultou em Live, Kevin acaba se mudando para São Francisco (EUA) e recruta o baixista Jon Torres (Laaz Rockit), o baterista Tom Hunting (Exodus) e o guitarrista Doug Piercy para um novo Angel Witch. O grupo acabou tendo que se separar tanto pelos problemas de agenda com Jon Torres como com a imigração, que acabou pegando Kevin, obrigando-o a voltar para a Inglaterra.

Em 1996, Kevin revive o Angel Witch, que lança o álbum 82 Revisited (Live At The East Anglia Rock Festival), com produção a cargo de Paul Samson e Jo Julian. Quatro anos depois sai a coletânea Resurection, com material tirado de Demo-Tapes de 1987, 1990 e 1998.
No mesmo ano Kevin Heybourne grava ao lado de Keith Herzberg (guitarra), Richie Wicks (baixo) e Scott Higham (bateria) o show London Astoria realizado no dia 2 de maio, que resultou no álbum ao vivo 2000: Live At The LA2.

Um ano depois ocorre a saída de Scott Higham, que foi para o Shadowkeep. Mesmo assim é anunciado o lançamento de um novo trabalho, que teria as faixas Darkness Reigns e Geborah, além da participação de Paul Samson (Samson) em algumas faixas. Como Paul veio a falecer em 9 de agosto de 2002, nada mais foi divulgado a respeito do CD, mas o grupo, contando com Kevin Heybourne (guitarrista), Richie Wicks (baixista), Scott Higham (baterista) e Keith Herzberg (guitarrista), voltou a aparecer nos festivais europeus em 2002, tocando no “Motala Festival” (SUE) e no “Wacken Open Air” (ALE).

Depois disso, algumas formações foram anunciadas, mas de concreto somente o lançamento de Sinister History LP, que teve apenas 666 cópias prensadas em vinil e contava com uma Demo de 1978 e uma faixa ao vivo inédita; além do relançamento em CD do álbum 82 Revisited (Live At The East Anglia Rock Festival), que saiu com o título de Angel Of Death: Live At The East Anglia Rock Festival, totalmente remasterizado e com três músicas de estúdio, Evil Games, They Wouldn’t Dare e Nowhere To Run.

A história do Angel Witch foi muito conturbada, especialmente pelas constantes mudanças na formação, mas sua importância para a NWOBHM e os méritos pelo lançamento do clássico álbum de estréia auto-intitulado fizeram com que o grupo tivesse seu merecido espaço no rol dos grandes nomes do Metal em todos os tempos.

Editado por TheGodMaster em Ago 28 2009, 20h21

Fontes (ver histórico)

Revista Roadie Crew

Todos os textos enviados pelos usuários nesta página estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution/Share-Alike.
Os textos também estão disponíveis sob a Licença de documentação livre GNU.

Ficha do artista

Gerado a partir de fatos marcados na wiki.

Não existe informação sobre este artista

Você está vendo a versão 3. Veja versões mais antigas, ou discuta esta wiki.

Você também pode ver uma lista de todas as alterações recentes na wiki.

Mais informações

De outras fontes.

Links
Gravadoras